Agronegócio

BeefExpo coroa genética Angus do Brasil

Evento iniciou nesta terça-feira (14.06)
Por:
1636 acessos

O porte mediano e altamente adaptado ao que o mercado exige da pecuária moderna garantiu o título de grande campeã Angus da BeefExpo à fêmea Baronesa TEIB417 Candelero (box 40), da Cabanha da Corticeira, de São Borja (RS).  O ventre, exposto pelos criadores Luiz Cassol, Márcio Rodrigues e Francisco Gutierrez, conquistou o jurado argentino Sebastian Larreta pela feminilidade, aptidão materna, atributos referendados pela excelente cria ao pé. O animal foi conduzido pelo criador Luiz Felipe Cassol. Eufórico com a vitória, ele pontuou a importância da Angus retornar  às pistas  paulistas e lembrou que a fêmea foi Reservada de Campeã Novilha Menor na Expointer 2015 e que deve estar na disputa pelo título este ano em Esteio. ”Essa fêmea congrega várias das virtudes que fazem da Angus a melhor raça do mundo”, reforçou Cassol.

O jurado ainda pontuou a alta qualidade e uniformidade dos exemplares expostos nesta terça-feira (14/06) no Centro de Eventos Pro Magno, em São Paulo (SP), o que, sem dúvida, dificultou muito seu trabalho. A reservada de grande campeã é PWM TECB1481 Princesa  (box 42), da Casa Branca Agropastoril, de Paulo de Castro Marques, de Fama (MG). Ao lado da filha Fabiana, o criador comemorou o destaque na estreia da Angus na BeefExpo. A terceira melhor fêmea é CIA Azul Polka 2959  (box 35), da Estância Guarita, de Sérgio  Malheiros da Fonseca, de Alegrete (RS).

Entre os touros,  a propriedade de Paulo Marques venceu com o reprodutor preto PWM Rei TEICB1560 Líder  (box 10), que o jurado Sebastian Larreta classificou como um animal que “expressa todas as qualidades da raça”. A faixa de grande campeão foi entregue em conjunto pelos presidentes da Associação Brasileira de Angus, José Roberto Pires Weber, e da Associação Brasileira de Criadores de Nelore, Pedro Novis, em um ato que confirma a união das raças pelo desenvolvimento da pecuária.

O touro grande campeão deve ser direcionado a uma central de coleta e deverá atuar tanto no cruzamento industrial quanto na produção de animais puros. Marques pontuou a força genética da Angus Brasil afora, fato evidenciado pela presença de criadores de diferentes regiões na BeefExpo.  “É ai que se mostra a força da raça, com bom número de criadores e variedade de regiões. Isso caracteriza como ela está difundida. A Angus é uma realidade nacional”. A Casa Branca ainda levou o título de terceiro melhor macho com PWM  Ruído TEICB 1641 Candelero. O reservado de grande campeão é Angus Guarita 72FIV Cardenal  Lamborghin, da Estância Guarita, de Sérgio Malheiros da Fonseca, de Alegrete (RS). 

Seguindo a tendência que consagrou as exposições paulistas, a BeefExpo é uma feira in door. Neste ano, a Angus apostou no evento por reconhecer a força que o cruzamento industrial entre zebuínos e a Angus vem atingindo no país. A BeefExpo 2016 contou 40 exemplares Angus de nove criatórios de quatro estados: São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná.   “É uma feira excelente, que segue um modelo moderno e arrojado. A Angus acreditou na BeefExpo e, para o próximo ano, deve incrementar sua participação”, adiantou Weber. 
 
Foto: Carolina Jardine

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink