BNDES prevê dólar a R$ 4 no ano que vem

MERCADO

BNDES prevê dólar a R$ 4 no ano que vem

"Dólar está em uma posição muito boa e o comércio vai poder exportar bastante"
Por: -Leonardo Gottems
524 acessos

O Dólar norte-americano deve se assentar no patamar de R$ 4 em 2020, de acordo com o presidente do Conselho de Administração do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Carlos Thadeu de Freitas. E essa é uma boa notícia, porque o valor favorece ao comércio exterior, avaliou o economista em palestra no Encontro Nacional de Comércio Exterior (Enaex) 2019, realizado no Rio de Janeiro. 

“Hoje, o Brasil está bem. A inflação está baixa e a alta do Dólar vai trazer pouca pressão inflacionária, só um pouco. Vai sair de 3,2% para 4%. Não é nada. O importante é que o Dólar está em uma posição muito boa e o comércio vai poder exportar bastante. Para nós do comércio exterior é muito bom. Nunca vi o dólar subir em momento fácil. Hoje, nosso país está muito bem em termos de atividade em termos de inflação. Agora, o Dólar está subindo um pouco. Acho que vai ficar em torno de R$ 4. Este ano deve chegar em R$ 4,20. No próximo ano, deve ser R$ 4, no mínimo. Virou um novo patamar”, justificou.

O diretor do banco de fomento estatal não vê necessidade de interferência do Banco Central vendendo Dólar para conter a alta da moeda norte-americana. “Vender dólar para quê? O país está bem. Essa área de R$ 4 ou R$ 4,20 é muito boa para o Brasil também. Deu muita sorte, porque como hoje tem baixas taxas inflacionárias, o Dólar poderia cair um pouco mais. [O Dólar] Não estar caindo é bom para o Brasil”, disse.

Sobre a taxa básica de juros, Thadeu projeta que a perspectiva é de que não haja nova queda e há, até mesmo, a possibilidade de uma alta no ano que vem: “A expectativa é de o IPCA fechar o ano em torno de 4%, e para o ano que vem isso vai cair mais um pouco no último semestre. Até lá, não há alternativa [para baixar os juros], a não ser que o Banco Central possa vender mais dólar físico (reservas), mas isso só em casos excepcionais”.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink