Agronegócio

Bovinocultura de Leite é tema de Tarde de Campo realizada em Sarandi

Participaram da atividade produtores beneficiários da Chamada Pública da Sustentabilidade do Distrito Ati-Açu e Linha Acampamento e estudantes.
Por:
264 acessos

Localizada na Vila Seca, Distrito de Ati-Açu, interior de Sarandi, a propriedade da família Bigaton recebeu mais de 50 pessoas nesta segunda-feira (20/06), na Tarde de Campo de Bovinocultura de Leite, evento promovido pela Emater/RS-Ascar e Secretaria da Agricultura de Sarandi. Participaram da atividade produtores beneficiários da Chamada Pública da Sustentabilidade do Distrito Ati-Açu e Linha Acampamento e estudantes da Escola Estadual de Educação Profissional de Carazinho.

Há mais de 25 anos o casal, Claudete e Geraldo Bigaton, residem na propriedade da Vila Seca, com os filhos, Laura e Felipe. As principais atividades da propriedade são bovinocultura de leite e suínos. Com 11 animais em lactação, a produção média mensal da família é de 4,6 mil litros de leite. E, dos 18 hectares da propriedade, quatro são destinados à produção de pastagens perenes e anuais e dois hectares para silagem. Na atividade da suinocultura são mais de mil cabeças e o produtor realiza aproximadamente 2,7 ciclos de engorda por ano.

A propriedade da família Bigaton é uma Unidade de Referência do município de Sarandi, projeto realizado pela Emater/RS-Ascar que visa desenvolver um sistema de gestão para monitorar, avaliar e projetar sistemas de produção de base familiar, contemplando as principais atividades econômicas desenvolvidas, considerando aspectos sociais, ambientais, técnicos e econômicos.

Uma atividade que está se encaminhando na propriedade é a piscicultura. Um tanque já está sendo construído na propriedade, como um dos resultados do trabalho da Emater/RS-Ascar nesta Unidade de Referência, para aumentar a diversificação da renda.

A produção para subsistência é outra atividade destaque na propriedade da família Bigaton. Dezenas de alimentos são produzidos ali para consumo da família. A extensionista social da Emater/RS-Ascar, Lisiane Paula Staggemeier Mattje, falou sobre os benefícios dessa produção. "Todos os alimentos produzidos para consumo da família, somando carne, ovos, verduras, frutas, entre outros, chega a R$1125, valor que a família economiza todo mês por não precisar adquirir esses produtos no mercado. Além da economia financeira, com a produção própria, a família tem certeza da qualidade dos alimentos que estão consumindo e, assim, garantem a qualidade na alimentação de todos", afirmou Lisiane.

A extensionista apresentou aos produtores a Campanha Regional "Produza seu alimento e colha saúde", uma ação desenvolvida pela Emater/RS-Ascar nos 42 municípios das regiões Médio Alto Uruguai e Rio da Várzea, que visa estimular a produção de subsistência, promovendo a segurança e soberania alimentar e influenciando na melhoria dos hábitos alimentares e na qualidade de vida. Este já é o segundo ano da Campanha. O destaque de 2016 é o incentivo a produção de feijão de grão e vagem, cebola de inverno e verão, mandioca, batata yacon, peixe e do pomar doméstico.

Outra temática abordada na Tarde de Campo foi gestão da atividade leiteira, tema trabalhado pelo assistente técnico regional de sistemas de produção animal da Emater/RS-Ascar, Valdir Sangaletti. Segundo ele, o produtor deve aplicar ações eficientes. É importante definir um sistema produtivo adequado para a propriedade, produzir com baixo custo, organizar a produção, buscar a qualidade do leite e ter escala de produção. "A atividade leiteira é uma das mais importantes para a sucessão. É uma atividade que leva o jovem a permanecer no meio rural. A sucessão é um elemento fundamental da gestão da propriedade", afirmou Sangaletti.

Higiene na ordenha e qualidade do leite foram assuntos trabalhados pela médica veterinária da Secretaria Municipal da Agricultura, Jenifer Ávila, que explicou aos produtores sobre a Instrução Normativa 62 e as adequações e exigências da legislação.

O engenheiro agrônomo da Emater/RS-Ascar, Luciano Schwerz, explicou sobre qualidade física e química do solo e manejo de dejetos de suínos em pastagens. Luciano ressaltou a necessidade da análise do solo para avaliação e recomendação dos nutrientes em cada área. Na propriedade da família Bigaton, a suinocultura é um complemento à bovinocultura de leite. Um complemento na adubação do solo das pastagens é a aplicação dos dejetos suínos através de um sistema com aspersor. 

Planejamento forrageiro e manejo de forrageiras perenes e anuais foram temas apresentados pelo técnico em agropecuária da Emater/RS-Ascar, Graciel Maggioni, destacando as características das diferentes variedades de pastagem e culturas para alimentação dos animais. A dieta e o cálculo do consumo de pasto por animal também foi demonstrado pelo técnico.

Ao final da atividade, os produtores e estudantes degustaram um lanche servido com alimentos produzidos pela família Bigaton na propriedade, com aproveitamento dos alimentos que fazem parte da Campanha Regional Produza seu alimento e colha saúde.

A Tarde de Campo faz parte das atividades realizadas esta semana em Sarandi, em comemoração ao aniversário do município. Na oportunidade, o refeito, Paulo Kasper, juntamente com autoridades locais, fez a entrega de uma patrulha agrícola para a comunidade de Ati-Açu e comunidades vizinhas.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink