Bovinos: Arroba perde fôlego no norte do MT com concentrações

Agronegócio

Bovinos: Arroba perde fôlego no norte do MT com concentrações

Diferenças dentro de Mato Grosso ficaram mais evidentes após o fechamento dos frigoríficos
Por: -Marianna Peres
270 acessos

Diferenças dentro de Mato Grosso ficaram mais evidentes após o fechamento dos frigoríficos

A valorização do preço da arroba bovina no Estado chega diferente para o pecuarista. Se não bastasse o histórico deságio de cerca de 10% sobre os preços em vigor na praça de São Paulo, rebanhos localizados mais ao norte mato-grossense, mesmo iguais, acabam valendo cerca de 6% a menos em relação à média adotada na porção mais ao sul do mesmo território.

O boletim semanal divulgado pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) revela que as diferenças existentes no mercado da bovinocultura estão ainda mais evidentes. “Com o fechamento e a concentração de algumas plantas frigoríficas no norte do Estado, os preços nesta região tendem a ficar menores do que as regiões mais ao sul”. Conforme monitoramento do Imea, no último dia 9, por exemplo, enquanto a média de preço da arroba entre as macrorregiões norte, nordeste e noroeste ficou em R$ 86.88/@, nas macrorregiões oeste, sul e sudeste a média ficou em R$ 91/@. “Deste modo, vemos que os produtores que se situam na parte de cima do Estado receberam, em média, R$ 4,12 a menos na arroba em relação aos do Sul do Estado, ou cerca de 6% a menos”.

Observa-se que em ambas as localidades o preço nos últimos dias apresentou queda, todavia em intensidades diferentes. “Na média do ano o preço da arroba nas macrorregiões do norte ficou em R$ 76 e na média das macrorregiões do sul a cotação foi de R$ 78,59/@. Vale lembrar que nas cidades da região sul-mato-grossense também se observaram fechamentos e concentração de plantas, entretanto, como a região é melhor servida de unidades e capacidade, este movimento foi menos sentido do que no norte”.

ANÁLISE - Como neste início de mês a arroba recuou em comparação às cotações vistas até meados de outubro, o Imea avaliou a evolução da média móvel dos cinco dias tanto da arroba do boi gordo quanto da escala de abate para observar a tendência desses dois indicadores no curto prazo. Com o acréscimo da escala de quatro dias durante o mês de novembro, a tendência de valorização da arroba foi interrompida e nos últimos dias uma tendência de queda foi iniciada. No dia 10 de dezembro a média móvel dos cinco dias da arroba do boi fechou o dia a R$ 87,45/@, registrando queda de 11% na comparação com o dia 10 de novembro. “Esta queda se deve à evolução da oferta de boi gordo no mesmo período, que fez com que a escala de abate saísse de 4,86 dias e fosse para 5,38 dias”, aponta os analistas do Instituto. Neste ano, a média móvel da arroba atingiu a casa dos R$ 100, sendo o maior valor nominal da série histórica da arroba à vista do Imea, que teve início em 2008.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink