Brasil compra 90 mil t de trigo HRW dos EUA na maior aquisição do ano, diz USDA
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,782 (-0,26%)
| Dólar (compra) R$ 5,23 (-0,18%)

Imagem: Marcel Oliveira

MAIOR AQUISIÇÃO DO ANO

Brasil compra 90 mil t de trigo HRW dos EUA na maior aquisição do ano, diz USDA

Importadores do Brasil adquiriram 90 mil toneladas de trigo duro vermelho de inverno dos Estados Unidos
Por:
254 acessos

Importadores do Brasil adquiriram 90 mil toneladas de trigo duro vermelho de inverno dos Estados Unidos na última semana, o que representa a maior compra do cereal norte-americano neste ano, indicaram dados publicados pelo Departamento de Agricultura dos EUA (USDA, na sigla em inglês) nesta quinta-feira.

Nas duas semanas anteriores, o governo dos EUA já havia confirmado vendas únicas de mais de 60 mil toneladas cada do produto —conhecido pela sigla em inglês HRW—, mas os volumes ainda não superavam o recorde anterior de 2020, do final de abril, quando houve uma aquisição de 69 mil toneladas.

Com o novo recorde semanal, o acumulado das importações de trigo HRW dos EUA pelo Brasil atinge 573,1 mil toneladas no ano. O volume se soma às 33,6 mil toneladas de trigo soft vermelho de inverno (SRW, na sigla em inglês) compradas no início de 2020 —o que eleva o total das aquisições de trigo, portanto, a 606,7 mil toneladas.

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estima que o Brasil importará 6,7 milhões de toneladas de trigo neste ano, considerando todas as origens, diante do consumo firme de derivados do cereal (como pães e massas) em meio à pandemia de coronavírus.

Além disso, as exportações de massas, biscoitos e pães do Brasil também avançaram em ritmo forte recentemente —segundo a associação Abimapi, os embarques dos produtos saltaram 73% no primeiro semestre, a 71 mil toneladas.

Os EUA são o segundo principal fornecedor de trigo do Brasil, atrás apenas da Argentina —no acumulado do ano até julho, segundo o governo brasileiro, os argentinos forneceram 3,5 milhões de toneladas do cereal ao país, enquanto os norte-americanos foram responsáveis por 240 mil toneladas.

Os fornecedores de fora do Mercosul se beneficiaram depois que o Brasil estabeleceu em junho uma cota adicional de 450 mil toneladas para importar trigo de fora do bloco sem Tarifa Externa Comum (TEC) até novembro, o que elevou o volume anual isento de taxa para 1,2 milhão de toneladas.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink