Brasil espera vender US$ 1 bi de carne bovina à China em 2015

Agronegócio

Brasil espera vender US$ 1 bi de carne bovina à China em 2015

Bom negócio para o dono do maior rebanho do país- Mato Grosso
Por:
711 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.
Reabertura pode ser um bom negócio para MT, dono do maior rebanho do país

O governo brasileiro espera vender até US$ 1,2 bilhão de carne bovina para a China no próximo ano, agora que o governo chinês derrubou a barreira imposta ao produto brasileiro. Dessa forma, o Brasil espera fornecer mais da metade da carne bovina que a China compra de fora, como acontece com as exportações de soja do Brasil para seu parceiro do Brics.

"Com a abertura do mercado, nossa expectativa em 2015 é de exportar de US$ 800 a US$ 1,2 bilhão de dólares de carne bovina para o mercado chinês", afirmou ontem o ministro da Agricultura, Neri Geller.

A reabertura pode ser um bom negócio para Mato Grosso, estado que detém o maior rebanho bovino e o segundo maior exportador desses cortes do país. Conforme dados da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), o Brasil registrou no primeiro semestre de 2014 um novo recorde do mercado de carne bovina, tendo exportado 762 mil toneladas e faturado US$ 3,4 bilhões. Desse montante, Mato Grosso participou com cerca de 15% da receita acumulada de janeiro a junho ao somar negócios de US$ 503 milhões.

O fim do embargo, que vigora desde 2012, foi acordado entre Dilma Rousseff e o presidente chinês, Xi Jinping, na manhã de ontem, no Palácio do Planalto. Segundo Geller, as vendas serão retomadas dentro de um mês. Em 2011, antes do embargo, o Brasil exportou para a china US$ 37,7 milhões.

Quando a China abriu seu mercado para a carne bovina brasileira, em 2009, o Brasil vendeu a seu parceiro comercial apenas US$ 2,5 milhões. Nesse ano, a China comprou US$ 44,6 milhões em carne bovina, de todo o mundo.

Em 2012, o país importou US$ 255 milhões de carne bovina. Em 2013, a compra foi de US$ 1,3 bilhão. O governo brasileiro espera uma expansão de 30% a 35% nas compras do produto em 2014.

É em cima dessa evolução nas importações de carne bovina por parte da China que o Brasil projeta a sua participação nesse mercado agora recuperado.

Se a expectativa se confirmar, as importações para a China vão representar cerca de 20% de toda a carne bovina que o Brasil vende, em 2013, foram US$ 6,6 bilhões.

O atual principal comprador de carne bovina é Hong Kong, região administrativa especial da China. No primeiro semestre, a região comprou US$ 700 milhões de carne bovina brasileira.

O Brasil tem oito frigoríficos já habilitados para vender à China. Segundo Geller, há nove na lista para serem habilitados. Inspetores chineses vêm para o país nos próximos dias para ver as condições dos frigoríficos brasileiros.

Vaca Louca - A China impôs a barreira à carne bovina brasileira após um caso atípico da doença da vaca louca, no Paraná, confirmado em dezembro 2012. Nesse caso, o tipo da doença era o de menor risco à saúde humana, quando o gado desenvolve o mal espontaneamente, sem ser infectado pela ração.

A Arábia Saudita, que também impôs embargo por conta desse caso, ainda não desfez a barreira à carne bovina brasileira.

O Brasil registrou outro caso atípico da doença, em Mato Grosso, esse ano. Por conta desse caso, Irã e Peru suspenderam as compras de frigoríficos do Mato Grosso. Segundo Geller, as discussões com esses países estão avançadas.

(Colaborou Marianna Peres)
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink