Brasil pode atender demanda por frango da Rússia após embargo aos EUA
CI
Agronegócio

Brasil pode atender demanda por frango da Rússia após embargo aos EUA

Brasil teria condições de exportar adicionalmente 150 mil toneladas
Por:
A indústria de carne de frango do Brasil tem condições de atender "tranquilamente" uma demanda adicional da Rússia, decorrente de um embargo russo ao produto norte-americano, disse nesta quarta-feira o presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Francisco Turra.


Ele afirmou, durante evento do setor, que o Brasil teria condições de exportar adicionalmente 150 mil toneladas de carne de frango ao ano para a Rússia, cobrindo cota destinada aos EUA.

"As 150 mil (que os EUA vendem à Russia) poderiam ser nossas", afirmou Turra a jornalistas, lembrando que o Brasil já exportou mais de 300 mil toneladas aos russos.

No ano passado, as vendas do país à Rússia atingiram cerca de 60 mil toneladas.

O Brasil é o maior exportador global de carne de frango, tendo entre as principais empresas do setor a BRF BRFS3.SA e a JBS (JBSS3.SA: Cotações), que também tem importante operação avícola nos EUA.

O serviço de vigilância veterinária e fitossanitária da Rússia afirmou nesta quarta-feira que vai embargar importações de carne de frango dos Estados Unidos, seguindo a ordem dada pelo presidente Vladimir Putin para que os órgãos governamentais preparem uma lista de itens banidos, disse o porta-voz do órgão Alexei Alekseenko. [nE6N0P607O]


O governo russo determinou embargo a produtos agropecuários procedentes de países que aplicaram sanções contra a Rússia por conta da crise com a Ucrânia.

"Se eles, hoje, por força das circunstâncias políticas, deixassem de comprar (dos EUA), nós aumentaríamos as plantas habilitadas, e já poderíamos suprir esta demanda", disse Turra, acrescentando que o Brasil deve ter hoje em torno de 20 unidades habilitadas a exportar para a Rússia.


"O Brasil tem condições, e nós temos uma capacidade ociosa muito grande."

Com maiores vendas à Rússia em 2014, o Brasil poderia exportar mais do que o recorde de 4 milhões de toneladas projetado para o ano, disse o vice-presidente para aves da ABPA, Ricardo Santin.

Turra disse ainda que as novas vendas para a Rússia poderiam colocar o país novamente entre os principais importadores do produto brasileiro, que incluem Arábia Saudita e Japão.

A Rússia anunciou também nesta quarta-feira que irá permitir que o Brasil aumente significativamente suas exportações de carne e laticínios ao país. [nL2N0QC16H]
 

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.