Brasil proíbe importação de frango dos Estados Unidos
CI
Agronegócio

Brasil proíbe importação de frango dos Estados Unidos

Por:

O Brasil suspendeu a importação de frangos dos Estados Unidos por causa da confirmação da descoberta de um foco do vírus da gripe aviária, ou influenza, no Estado de Delaware. Para o Ministério da Agricultura, este é um procedimento "padrão", adotado para todos os países que apresentam focos de doenças de notificação obrigatória. O Brasil importa material genético americano, matrizes de frango de linhagem superior que são usadas para melhorar o plantel nacional. O governo agora aguarda informações mais detalhadas de Washington sobre o surgimento da doença naquele país.

A decisão de fechar o mercado brasileiro ao frango dos EUA foi tomada com base nas informações disponibilizadas pela OIE (Organização Internacional de Epizootias) e pelo próprio "site" do governo do Estado de Delaware. Canadá, França e Reino Unido deverão substituir os EUA como fornecedores de matrizes para as granjas brasileiras enquanto o embargo perdurar.

Para Claudio Martins, diretor-executivo da Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Frangos (Abef), ainda é cedo para afirmar se as exportações de carne de frango do Brasil vão crescer nos mercados hoje ocupados pelos americanos.

A gripe detectada no Estado de Delaware neste fim-de-semana é a versão menos perigosa do vírus conhecido como H7. Na Ásia, a crise decorre da disseminação do H5N1, prejudicial à saúde humana, segundo o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA).

Até ontem, 18 pessoas tinham morrido na Ásia em virtude da gripe, que está presente em dez países daquele continente. Em Delaware, a região afetada foi isolada em quarentena e com vigilância sanitária rigorosa. Segundo o USDA, o vírus H7 já tinha sido detectado no país antes.

Além do Brasil, países como Japão, Malásia, Cingapura e Coréia do Sul baniram as importações do frango americano. Hong Kong e Rússia baniram somente a carne do Estado de Delaware. Mas, como o vírus é mais fraco e pode estar restrito a Delaware, já havia boatos ontem de que as travas podem ser amenizadas ainda nesta semana.

Segundo Martins, a medida de prevenção tomada pelo governo foi bem-recebida pelas indústrias. "Estamos trabalhando junto com o governo para evitar que o vírus entre no país. O veto ao arroz em casca já foi uma delas".

Nesta semana, o Ministério da Agricultura deverá anunciar novas medidas para evitar a entrada do vírus no Brasil. Entre elas está a restrição do transporte e da comercialização de aves aos limites de cada Estado. Em caso de foco da doença, o Estado afetado poderia ser isolado para não comprometer as exportações dos outros. O governo também estuda a adoção de medidas de desinfecção de aviões e contêineres, além de obrigar o uso de pedilúvios (tapetes sanitários) nos desembarques internacionais.

Segundo Martins, o Brasil poderá aumentar suas exportações para o Japão. "Os japoneses compravam da China e Tailândia e dos Estados Unidos", observa. O Brasil foi o segundo maior exportador de carne de frango para o Japão em 2003, ano em que foi o maior exportador do mundo. Na semana passada, o governo reiterou que está negociando embarques com a Coréia do Sul. Os exportadores também conversarão com clientes de Taiwan e Japão.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink