Brasil tem mais 12 pragas quarentenárias ausentes
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,782 (-0,26%)
| Dólar (compra) R$ 5,38 (2,78%)

Imagem: Arquivo

SANIDADE VEGETAL

Brasil tem mais 12 pragas quarentenárias ausentes

Lista foi atualizada pelo Ministério da Agricultura
Por: -Eliza Maliszewski
1229 acessos

O Ministério da Agricultura atualizou a lista de pragas quarentenárias ausentes para o Brasil. Foram incorporadas doze pragas ausentes no país e que passam a ser regulamentadas. A Instrução Normativa nº 85 passou a vigorar nesta segunda-feira (1º).

As pragas incluídas são todas de interesse florestal para a região e o Brasil, sendo seis besouros (Coleoptera), três mariposas (Lepidoptera), duas vespas (Hymenoptera) e um psilídeo (Hemiptera). As pragas quarentenárias são aquelas consideradas de grande impacto para a agricultura. A simples presença pode comprometer exportações ou trazer danos sérios às plantações. 

As pragas quarentenárias ausentes têm potencial de provocar prejuízos econômicos por não estarem presentes no território nacional, consideradas exóticas. A publicação da lista é obrigatória a fim de que outras nações e parceiros comerciais possam ter mais clareza quanto às ações que cada um toma para evitar a introdução de pragas, uma vez que as medidas fitossanitárias devem ser tomadas para pragas que sejam regulamentadas.

Veja quais são as pragas e que culturas atacam:

COLEOPTERA

Aromia bungii: besouro associado a árvores e à madeira. Ataca diversos hospedeiros, incluindo álamos e salgueiros e frutíferas como pêssego, damasco, ameixa.  Atualmente, está presente na Ásia e na Europa.

Chrysobothris mali: é um besouro associado a diversas espécies arbóreas (nozes, álamos, carvalho, salgueiros, olmos, maçã). Importante em viveiros e plantações jovens, bem como para madeira. Presente somente na América do Norte.

Paropsisterna bimaculata: praga de eucalipto. Pode ser introduzida por meio de mudas, plantas ou parte de plantas vivas. 

Paropsisterna m-fuscum: praga de eucalipto. Associado a mudas, plantas ou partes vivas de plantas, arranjo de flores ou como contaminante em produtos não hospedeiros . Nativa da Austrália e da Nova Guiné e introduzida nos EUA.

Trachymela sloanei e Trachymela tincticollis: ambas as pragas estão associadas a eucalipto e nativas da Austrália. 

LEPIDOPTERA

Dendrolimus spectabilis e Dendrolimus superans: pragas de pinus e outras espécies arbóreas. Presentes na Ásia e Rússia. As lagartas são desfolhadoras e têm causado perdas significativas em plantios de pinus.

Dioryctria zimmermani: os principais hospedeiros são espécies de pinus. Está presente na América do Norte (EUA e Canadá). Associado a mudas e árvores de natal.

HYMENOPTERA

Ophelimus eucalypti: praga de eucalipto indutora de galhas foliares. Presente na Austrália e Nova Zelândia. Ataques intensos provocam a perda da folhagem das ramas terminais, podendo matar as plantas.

Selitrichodes globulus: praga de Eucalyptus globulus. Forma galhas em ramos e brotos novos. Espécie recentemente descrita como invasiva na Califórnia (EUA), tendo como origem provável a Austrália.

HEMIPTERA

Eucalyptolyma maideni: praga de espécies do gênero Corymbia. De origem australiana, foi introduzida na Nova Zelândia e na Califórnia (EUA). Infestações severas ocasionam a desfolha nas plantas hospedeiras. 
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink