Brasil tem pior orçamento para sanidade entre exportadores

Agronegócio

Brasil tem pior orçamento para sanidade entre exportadores

Em 2000, o governo investiu R$ 159 milhões, em 2007 foram R$ 107 milhões
Por: -redação
11 acessos

Um problema antigo continuará a ser um desafio para o agronegócio brasileiro em 2007: o uso de recursos para defesa sanitária. Marcos Sawaya Jank, presidente do Instituto de Estudos do Comércio e Negociações Internacionais (Icone), observa que os recursos à defesa têm se reduzido nos últimos anos em um momento em que a preocupação com a segurança alimentar cresce no mercado internacional.

"O gasto com sanidade animal foi equivalente a 0,6% do que a cadeia faturou com exportações de carnes no período, que foi de US$ 7,7 bilhões. E são os problemas sanitários que reduzem nossa competitividade no mercado internacional". Em 2005, o governo investiu o equivalente a US$ 44 milhões em sanidade, ou R$ 107 milhões. Em 2000, por exemplo, o valor era de R$ 159 milhões. Jank observa que é o gasto mais baixo feito entre os principais países exportadores de carnes. Ele criticou a redução nos gastos de governo com sanidade. "É uma área que, se funciona bem, ninguém percebe, não é um investimento que traz visibilidade ao governo, por isso é deixado de lado".

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink