Bunge assina protocolo para reativação da planta de Ponta Grossa/PR

Agronegócio

Bunge assina protocolo para reativação da planta de Ponta Grossa/PR

A previsão é que em fevereiro, todas as áreas estejam em funcionamento
Por:
1439 acessos

A previsão é que em fevereiro, todas as áreas estejam em funcionamento

A Bunge assinou nesta quinta-feira (2) protocolo de intenções para reativação da unidade de processamento de soja de Ponta Grossa (PR). Com este ato, a planta entra em fase de manutenção. A previsão é que em fevereiro, todas as áreas estejam em funcionamento, gerando aproximadamente 80 empregos diretos. No total, a Bunge gera 1.000 empregos diretos no Paraná.

As atividades da planta de processamento de soja de Ponta Grossa foram paralisadas em outubro de 2009 por vários motivos, entre eles, a necessidade de adaptação ao cenário do agronegócio, naquele momento. A reativação da planta é resultado do compromisso do governo do Paraná em conceder novos incentivos para a empresa. A Bunge está presente em Ponta Grossa há quase 40 anos, onde mantém um transbordo, uma unidade de Fertilizantes e um Moinho de Trigo.

A Bunge Brasil, que atua no setor de agronegócio, alimentos e bioenergia, teve um faturamento consolidado no ano passado de R$ 27,4 bilhões. Na área do agronegócio, conta com oito plantas para processamento de soja no Brasil. É a maior processadora de soja das Américas e líder mundial em processamento de oleaginosas. No Brasil, é líder na comercialização de grãos, maior exportadora do agronegócio e 3a maior no ranking geral do país.

Sustentabilidade

A Bunge trabalha para que suas atividades ajudem a promover o desenvolvimento sustentável das comunidades em que atua e gerem o mínimo impacto possível no meio ambiente. Coloca em prática os princípios da sustentabilidade em todas as suas atividades, da fertilização do solo à fabricação de produtos, além da disposição final dos resíduos pós-consumo.

Mundialmente, a Bunge consolidou sua plataforma de sustentabilidade, que norteia todas as suas atividades, e possui 4 pilares de atuação: promover agricultura sustentável, combater os efeitos climáticos, incentivar dietas saudáveis e trabalhar para a redução de resíduos. Na pilar Agricultura Sustentável, a Bunge estabelece acordos prévios com fornecedores em respeito à legislação ambiental e trabalhista.

Para garantir uma produção mais responsável no campo, a empresa desenvolve uma abordagem em quatro etapas – conscientização para o cumprimento da legislação ambiental e trabalhista, além dos benefícios da agricultura sustentável; capacitação para utilização das melhores práticas; reconhecimento e premiação pelo uso de boas soluções e inovações; sanções previstas em contrato para coibir desrespeitos à legislação e bloqueios automáticos aos cadastros de produtores com embargos do Ibama ou integrantes da Lista de Trabalho Análogo ao Escravo.

Algumas ações de destaque são os bons resultados da Moratória da soja na Amazônia, prêmio Destaque Bunge Agricultor Brasileiro, cartilha educativa em parceria com o Ministério do Meio Ambiente e Instituto Ambiental do Paraná, programas de recuperação do cerrado e ações de preservação da mata atlântica, além de relacionamento direto com cerca de 80 mil produtores rurais.

As informações são da assessoria de imprensa da Bunge.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink