Câmara de Insumos do Mapa discute sobre rentabilidade do produtor rural

Agronegócio

Câmara de Insumos do Mapa discute sobre rentabilidade do produtor rural

Brasil dobrou a sua produção nos últimos 15 anos, mas o lucro dos agricultores não acompanhou essa escala
Por:
1892 acessos

Brasil dobrou a sua produção nos últimos 15 anos, mas o lucro dos agricultores não acompanhou essa escala

A competividade da agricultura brasileira foi a pauta da semana na Câmara Temática de Insumos Agropecuários, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). O tema foi sugerido pelo titular da pasta, o também presidente da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), Júlio César Busato, após constar que, enquanto os custos de produção e a produtividade agrícola aumentam, a rentabilidade do produtor diminui.

Segundo pesquisa, o Brasil praticamente dobrou a sua produção nos últimos 15 anos, mas o lucro dos agricultores não acompanhou essa escala. Isso fez com que a categoria se preocupasse em montar uma equação em que esses fatores tivessem a mesma proporção. O resultado disso é a formação de três grupos de trabalho, formado por representantes da Abrapa, Aprosoja e Embrapa, que irão coordenar os estudos nas áreas de defensivos, insumos e manejo do solo, respectivamente. O objetivo é encontrar soluções que levem à melhoria da produtividade da agricultura brasileira e o aumento da renda do produtor.

As sugestões dos grupos serão apresentadas à Câmara Temática, no dia 5 de dezembro, e depois encaminhadas ao Mapa, a fim de que o ministro adote as medidas pertinentes.

“Essa relação de produtividade versus custo é algo que nos preocupa a longo prazo, pois as commodities são produzidas em qualquer lugar do mundo, mas nossos clientes vão preferir comprar de quem produzir a um custo menor. Isso significa que se não encontramos uma solução perderemos espaço no mercado. Precisamos resolver essa questão, tentando diminuir os custos, aumentar a produtividade e melhorar a logística”, salientou Busato, ressaltando que o agronegócio contribui com mais de 30% do PIB brasileiro e é quem gera um saldo positivo na balança comercial, mas a rentabilidade do produtor não é tão animadora.

De acordo com o presidente da Câmara Temática de Insumos, na composição dos custos das grandes culturas no Brasil, mais de 50% são com fertilizantes e defensivos agrícolas. Os grupos de trabalho buscarão soluções para a cadeia produtiva dos insumos e fertilizantes, na tentativa mudar este cenário.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink