Campo da Embrapa em Sergipe recebe jovens aprendizes
CI
Imagem: Divulgação
AGRONEGÓCIO

Campo da Embrapa em Sergipe recebe jovens aprendizes

O programa é implementado em parceria com o CIEE e a organização social Gerar
Por:

A partir de abril, o Campo Experimental de Itaporanga d’Ajuda, mantido pela Embrapa Tabuleiros Costeiros no Litoral Sul Sergipano, passou a contar com sete novos colaboradores. Novos não apenas por terem acabado de se juntar à equipe, mas também na idade. Eles fazem parte do Programa Aprendiz Legal – Agronegócio.

Realizado pela Fundação Roberto Marinho, o programa é implementado em parceria com o Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE) e a organização social Gerar. O Aprendiz Legal é um programa voltado para a preparação e inserção de jovens no mundo do trabalho, que se apoia na Lei da Aprendizagem.

Os sete jovens são moradores de comunidades no entorno do campo experimental, e seis deles foram contratados sem custos diretos para a Embrapa, por meio de parceria com a Granja do Pina, estabelecimento avícola sediado no município de Itaporanga. 

Sob a orientação do experiente supervisor de Campo Erivaldo Moraes e acompanhados pela equipe do campo, os jovens aprendizes, por um período de até dois anos, conhecerão na prática a lida e as rotinas da área, sendo treinados em atividades como automação e manutenção de sistemas de irrigação, coleta de dados experimentais e amostras de solos, plantio e manejo de culturas, monitoramento de crescimento de plantas, adubação, seleção de sementes e outras.

Para garantir a segurança sanitária dos aprendizes e das equipes, o grupo é dividido em escalas de trabalho, com quatro jovens atuando pela manhã e três pela tarde, com uso de máscaras e demais equipamentos de proteção individual.

Para o chefe-adjunto de Administração da Unidade, Paulo de Carvalho, a chegada dos jovens aprendizes ajuda a Embrapa a fortalecer seu papel social enquanto empresa pública. “Além dos resultados das pesquisas em campo, essa iniciativa contribui para a inclusão produtiva dos jovens e a melhoria da qualidade de vida de suas comunidades”, destaca.

Aprendizes

Gleicyelle Castor Menezes (Pov. Caueira - Itaporanga)
Monica Calixto Varjão (Pov. Caueira) 
José Roberto dos Santos (Pov. Mosqueiro - Aracaju) 
Laila Gabriela dos Santos (Pov. Costa do Pau D’Arco - Itaporanga) 
Brendo Rodrigues Timóteo (Pov. Caueira) 
Samara Kelli Rodrigues dos Santos (Pov. Caueira) 
Roberto Santos Júnior (Pov. Mosqueiro) 

A Lei

A Lei da Aprendizagem (10.097/2000) determina que empresas de médio e grande porte devem contratar jovens com idade entre 14 e 24 anos como aprendizes. O contrato de trabalho pode durar até dois anos e, durante esse período, o jovem é capacitado na instituição formadora e na empresa, combinando formação teórica e prática.

Os jovens têm a oportunidade de inclusão social com o primeiro emprego e de desenvolver competências para o mundo do trabalho, enquanto os empresários têm a oportunidade de contribuir para a formação dos futuros profissionais do país, difundindo os valores e cultura de sua empresa.

Para mais informações consulte o Manual da Aprendizagem do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (Sinait). O Manual reúne toda legislação que regulamenta a implementação da Lei da Aprendizagem.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink