Caravana de agricultura familiar no Paraná aborda o uso de energias renováveis

Agronegócio

Caravana de agricultura familiar no Paraná aborda o uso de energias renováveis

A caravana está percorrendo cinco municípios da região até sexta-feira (25)
Por:
627 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

Transformar a luz solar, o ar ou substâncias orgânicas em energia pode ser uma ótima opção para os agricultores familiares. Além de ajudar na preservação do meio ambiente, a prática impacta positivamente no bolso. Energia renovável foi um dos temas discutidos na III Caravana da Agricultura Familiar promovida pela Federação Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar (Fetraf-Sul) do Paraná. A caravana está percorrendo cinco municípios da região até sexta-feira (25). 

Em Coronel Vivida, o primeiro dia da caravana contou com a presença do engenheiro agrônomo Gabriel Ferreira, representante da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário (Sead), para falar sobre energias renováveis. Cerca de 600 agricultores familiares, prefeitos, técnicos e gestores de cooperativas tiveram a oportunidade de conhecer a proposta da Sead para o Programa Nacional de Aproveitamento das Fontes Renováveis de Energia pela Agricultura Familiar. 

De acordo com Gabriel Ferreira, é de extrema importância discutir esse tema com os agricultores familiares. Recentemente, o Brasil assinou e ratificou o Acordo de Paris que trata de mitigar as contribuições brasileiras no lançamento de gases de efeito estufa, como o CO2 e o metano. Um desses compromissos é ampliar a participação das energias renováveis para até 23% da geração de eletricidade do Brasil. “Essa é uma grande oportunidade para a agricultura familiar ampliar sua participação no uso e produção das energias limpas, oriundas de fontes renováveis. Todo agricultor familiar tem acesso aos insumos necessários para isso: o sol, os ventos e a biomassa, abundantes no país inteiro”, ressalta.

Além de contribuir com o meio ambiente, o uso de energias renováveis traz benefícios para a renda dos agricultores familiares. Muitos produtores ainda não têm acesso à energia pública e gastam com motogeradores e lamparinas. Outros já têm acesso à energia elétrica, mas podem diminuir o valor da conta de luz ou até mesmo vender o excedente de energia produzida. 

A Sead vem trabalhando fortemente para promover o uso de energia renovável. O Pronaf Eco oferece recursos para implantação de sistemas de produção e uso de energias renováveis com carência, taxas e prazos bastante vantajosos para os agricultores. 

Além do Pronaf, a Sead, por meio da CGBio, está elaborando o Programa de Aproveitamento das Fontes Renováveis de Energia pela Agricultura Familiar. Gabriel Ferreira ressalta que foi criado um grupo de trabalho, composto por representantes de vários ministérios, para num prazo de 180 dias, elaborar o Programa, com consulta em todas as regiões brasileiras e a participação dos agricultores familiares. Para Gabriel Ferreira, a III Caravana da Agricultura Familiar foi um esforço para divulgar as propostas do Programa e coletar sugestões e necessidades dos agricultores para a sua elaboração.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink