Carne de frango: estabilidade na exportação conjunta de Brasil e EUA

Agronegócio

Carne de frango: estabilidade na exportação conjunta de Brasil e EUA

Há pelo menos seis anos e meio o mercado internacional permanece estável para os dois países líderes na exportação de carne de frango.
Por:
209 acessos

Até visualmente (gráfico abaixo) é fácil constatar que há pelo menos seis anos e meio o mercado internacional permanece estável para os dois países líderes na exportação de carne de frango – Brasil e EUA.

Nos últimos 12 meses, por exemplo, as exportações de ambos, somadas, ficaram em torno das 582 mil toneladas mensais, volume menos de 4% superior ao registrado na média dos 12 meses de 2011. E isso, é óbvio, está muito aquém do aumento das exportações mundiais, cuja expansão nesse período (dados do USDA) está acima dos 10%.

Isto indica que outros países registraram, nas exportações, índices de incremento maiores que os obtidos conjuntamente por EUA e Brasil. Mas não significa que o Brasil esteve inerte nesse processo. 

Pelo contrário, consideradas apenas o total exportado pelos dois países, a participação brasileira teve crescimento. Ficou em torno de 53% em 2011 e subiu para cerca de 60% nos primeiros seis meses de 2016. Mas – é lógico concluir – a expansão brasileira apenas ocupou a brecha deixada pela retração norte-americana (efeito da Influenza Aviária no país). 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink