Carne de frango: os principais importadores até novembro

Frango

Carne de frango: os principais importadores até novembro

Quadro de principais importadores da carne de frango permanece praticamente inalterado em relação aos meses anteriores mais recentes
Por:
58 acessos

Faltando apenas os resultados do corrente mês para o fechamento de 2018, o quadro de principais importadores da carne de frango permanece praticamente inalterado em relação aos meses anteriores mais recentes. Ou, mesmo, em relação a 2017. Comparando-se os “top ten” do corrente exercício com aqueles do mesmo período de 2017, observa-se que apenas dois países não integraram o rol no ano passado: México e Coreia do Sul.

Saíram, neste ano, o Egito (sétimo lugar entre janeiro e novembro de 2017) e o Iraque (nono lugar há um ano). Porque, em essência, reduziram significativamente suas importações neste ano. As do Egito recuaram quase 70% fazendo com que se posicione, atualmente, no vigésimo lugar do rol de importadores. E as do Iraque caíram mais de 15%, fazendo com que, agora, o país se encontre na 11ª posição.

Ocuparam o espaço México e Coreia do Sul. Os sul coreanos, por aumentarem suas compras em 23%, subiram da 12ª para a 10ª posição. E os mexicanos, cujas importações aumentaram pouco mais de 10%, se encontram no momento no nono lugar (11º no ano passado).

Juntamente com esses dois países, Kuwait, Emirados Árabes Unidos e, principalmente, China, aumentaram suas importações em 2018. Mas não o suficiente para neutralizar a queda por parte dos outros cinco principais importadores. Resultado: no grupo dos “10 mais” o volume recuou mais de 5%, enquanto a receita cambial ficou quase 10% aquém da registrada em idêntico período de 2017.

De toda forma, os retrocessos aqui observados são menores que os ocasionados pelos demais 152 importadores. Porque, entre eles, a queda de volume ficou próxima dos 9% e o retrocesso na receita chegou a 13%. Ainda assim, globalmente, determinaram efeitos menores, pois representaram cerca de um terço do volume e da receita cambial registrados no período.

A ressaltar que, a despeito do menor volume, o Brasil ampliou o número de mercados alcançados. De acordo com os dados da SECEX/MDIC, nos onze primeiros meses de 2017 foram 138 os países que receberam carne de frango brasileira. Neste ano, mesmo espaço de tempo, o produto chegou a 162 países, 17% a mais. 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink