Ceará é o maior exportador de mel do Nordeste e o terceiro do País

Agronegócio

Ceará é o maior exportador de mel do Nordeste e o terceiro do País

Em 2008, foram US$ 697 mil arrecadados no Estado com a exportação do produto
Por:
181 acessos

Ceará é o maior exportador de mel do Nordeste e terceiro do País, atrás apenas de São Paulo e Rio Grande do Sul. Os principais destinos do legítimo mel cearense são os Estados Unidos e a Europa. Em 2008, foram US$ 697 mil arrecadados no Estado com a exportação do produto. O Governo do Ceará, através da Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA), tem investido para alavancar a produção do mel no Estado.

De acordo com o assessor de apicultura da SDA, Marcelo Viana, o Programa de Melhoramento Genético de Abelhas Rainhas, que inclui ainda o cuidado com o manejo dos apiários, a higienização da colmeias e a preocupação com a qualidade do mel, é o principal responsável por esse sucesso.

Através de uma parceria entre a SDA, o Instituto Agropolos do Ceará, a Ematerce e o Instituto Centro de Ensino Tecnológico (Centec), o Programa de Melhoramento Genético seleciona e produz material genético superior, garantindo o aumento na produtividade de mel das colmeias, por conta da produção de abelhas rainhas geneticamente melhoradas do plantel dos apicultores familiares.

Atualmente, existem 1.826 apicultores assistidos pela Ematerce no Estado, destes, a SDA selecionou 85 colmeias com destacada produtividade e comportamento higiênico em oito regiões (Sertão Central, Centro Sul, Cariri, Cariri Oeste, Cariri Leste, Inhamuns, Médio Jaguaribe e Baixo Jaguaribe). A partir daí, começou a produção as abelhas rainhas geneticamente melhoradas oriundas da seleção do plantel assistido. Segundo Viana, a Secretaria promove ainda as capacitações das equipes técnicas nas áreas de produção e a capacitação em manejo e substituição de rainha dos próprios apicultores participantes.

As rainhas selecionadas são encaminhadas ao município de Quixeramobim, para os apiários do Centec. “Elas são submetidas a um descanso de no mínimo 60 dias e depois passam por um teste de nível de eficiência em relação ao comportamento higiênico. Apenas colméias que apresentassem eficiência acima de 85% permanecem no programa de melhoramento”, explica o assessor da SDA.

Por último, o Programa distribui as rainhas produzidas para os apicultores participantes. Cada apicultor que doa uma abelha rainha, recebe cinco rainhas selecionadas, fecundadas e com postura comprovada. Segundo a SDA, sem o melhoramento genético, uma colmeia produz cerca de 12 a 15kg de mel por ano. Com ele, esse número salta para 120 kg por ano.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink