Cenário político e rumos da economia são debatidos durante 45º Encontro Ruralista, no Pará

Agronegócio

Cenário político e rumos da economia são debatidos durante 45º Encontro Ruralista, no Pará

A FAEPA promoveu um amplo debate de temas gerais para o agronegócio, durante a 45ª Encontro Ruralista Agronegócio.
Por:
372 acessos

A Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (FAEPA) promoveu um amplo debate de temas gerais para o agronegócio, durante a 45ª Encontro Ruralista Agronegócio: Segurança da Nação, realizado dias 7 e 8 de junho, no Palácio da Agricultura, em Belém (PA). O evento reuniu cerca de 150 líderes rurais, além de autoridades, palestrantes, políticos, diretores e técnicos do Sistema FAEPA/SENAR.

Tendo à frente o presidente do Sistema FAEPA, Carlos Fernandes Xavier, a programação tratou sobre o atual momento político e econômico vivido no Brasil, ressaltando as ações que têm sido desempenhadas pela Federação para encontrar a melhor solução para os problemas que afetam diretamente a classe rural. O Encontro Ruralista debateu a política ambiental e seus reflexos no desenvolvimento da agropecuária, além de questões fundiárias, como provimento 13, cancelamento de matrículas, intervenção federal, Valor Terra Nua (VTN) e insegurança no campo.

O evento também possibilitou a troca de conhecimento sobre as ações do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR), fortalecimento do sistema sindical rural e, ainda, permitiu aos participantes conhecer os programas do Ministério da Integração Nacional para a Amazônia e presenciar a criação do Polo da Citricultura Paraense e a Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Citricultura do Conselho do Agronegócio do Estado do Pará (CONSAGRO/PA).

O ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, participou do evento e abordou questões de competência do Ministério, como grandes projetos sobre políticas de incentivos fiscais, de irrigação e de desenvolvimento nacional. Helder disse que o Pará tem tudo para se tornar a mais eficiente rota de exportação das commodities agrícolas. “A agenda de investimentos em novos projetos de logística portuária garantirá o protagonismo do Pará na consolidação do Arco Norte, como alternativa para o escoamento da produção de grãos da região Centro-Oeste”, destacou.

Durante o evento, o ministro assinou como testemunha de convênio celebrado entre o Banco da Amazônia e o SENAR/PA, para credenciamento de técnicos de programa de assistência técnica e crédito rural, para empreendimentos com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO) e outros, operacionalizados pelo Banco da Amazônia S/A. Por ocasião da assinatura também estavam presentes o diretor da FAEPA, Ribamar Sizo, e os representantes dos bancos, José Severino (Caixa Econômica Federal), Marivaldo Gonçalves de Melo (Banco Amazônia) e Edvaldo Sebastião de Souza (Banco do Brasil). Em seguida foi assinado convênio com o Conselho de Contabilidade do Estado do Pará, com a presença da presidente Fátima Vasconcelos.

MOMENTO POLÍTICO - “As dificuldades e alternativas para os problemas enfrentados no agronegócio brasileiro no momento político atual” foram apresentadas pelo presidente do Instituto CNA, Roberto Lúcio Rocha Brant. Sobre a situação econômica, Roberto Brant afirmou que um dos motivos que levou o país para o atual momento de recessão foi o aumento dos gastos públicos, provocado por má administração. Para ele, uma medida de controle de gastos é um primeiro e importante passo e, deixou claro, “estamos diante de um problema econômico inédito”, demostrou preocupado.


Coordenador na elaboração do documento “Uma ponte para o futuro”, Roberto Brant afirmou: “O desequilíbrio brasileiro está contratado na Constituição Federal e nas leis. Se não forem mudadas, vão levar o país para o abismo. Isso não é novidade. Há apenas divergências pontuais sobre quando e como”. E considerou que a sociedade, tanto rural quanto urbana, precisa continuar batalhando para o País sair da crise. "A sociedade precisa se convencer de é necessário se mobilizar e não pode esperar nada do sistema político atual. Os produtores do Pará e do Brasil precisam continuar mobilizados para exigir que o Congresso Brasileiro vote em favor do Brasil”, avisou.

PROGRAMA CARNE BRANGUS CERTIFICADA - O Programa Carne Brangus Certificada foi apresentado pelo presidente da Associação Brasileira de Brangus, Raul Victor Torrent. Segundo ele, a região tem amplo potencial de expansão para a pecuária, principalmente levando em conta a disponibilidade dos criadores em assimilar novas tecnologias. Ao final do evento, os participantes degustaram a carne Brangus Certificada.

Durante a reunião, os representantes dos sindicatos rurais colocaram os principais problemas dos municípios das suas regiões. Ao final do encontro foi divulgada moção de repúdio ao Sr. Gercino José da Silva Filho, presidente da Comissão Nacional de Combate à Violência no Campo.

O evento foi uma realização da FAEPA em parceria com o SENAR e contou com apoio da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil e do Instituto (CNA). A 46º edição deve acontecer em novembro. 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink