Centro Tecnológico da Central Bela Vista conclui primeira prova de desempenho
CI
Imagem: Pixabay
PECUÁRIA

Centro Tecnológico da Central Bela Vista conclui primeira prova de desempenho

O CT é composto por cinco baias, com capacidade de até 40 animais cada uma
Por:

No final de junho, o recém-inaugurado Centro Tecnológico Humberto de Freitas Tavares, da Central Bela Vista, concluiu sua primeira “Prova de Desempenho”, finalizando o teste de eficiência alimentar com 142 touros jovens da raça Nelore. Realizado em parceria com a Confraria da Carcaça, o primeiro teste avaliou os animais dos criadores participantes, para identificar, entre eles, os de melhor qualidade da carcaça e maior eficiência na conversão de alimento em peso.

A avaliação começou dia 06 de abril e durou 77 dias, seguindo um rígido roteiro. Os animais selecionados passaram por pesagem, identificação e por uma avaliação biométrica (um dos itens observados é a altura de garupa, por exemplo). Depois, receberam um brinco eletrônico. “Quando o animal vai comer, no cocho há um dispositivo de controle eletrônico que lê o chip presente no brinco, medindo a quantidade de alimento ingerido. O chip também é lido pela balança eletrônica do bebedouro, que pesa o touro e registra a quantidade de água ingerida”, descreve Pedro Araújo, gerente comercial da Bela Vista.

O teste também avalia, por ultrassonografia de carcaça, a medida da área de olho de lombo (AOL), espessura de gordura subcutânea (EGS), marmoreio (MAR) e a ultrassonografia testicular, que avalia o potencial reprodutivo dos animais. De forma prática e com controle eletrônico, pode-se identificar futuros touros reprodutores com as melhores características frente ao mercado, que hoje busca rapidez na engorda e maior qualidade da carne, visando os lucrativos mercados de exportação.

Oficialmente inaugurado em junho, o novo Centro Tecnológico da Central Bela Vista é mais um valioso serviço do Grupo CRV para criadores do Brasil. Os cochos eletrônicos são da empresa Intergado e com eles podem ser testados até 200 animais de uma vez. O número mínimo aceito para a realização da prova é de 30 animais contemporâneos da mesma raça, podendo participar tanto machos quanto fêmeas. O CT pode também realizar testes com até 500 animais em sistema de confinamento. “Todos podem testar seus animais, a estrutura é top e a equipe é capaz”, afirma Pedro Araújo.

O Centro Tecnológico da Bela Vista foi nomeado em homenagem ao produtor Humberto de Freitas Tavares, que foi presidente da Confraria da Carcaça e um dos mais respeitados criadores de Nelore da pecuária brasileira.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.