Chalet vai investir R$ 9 milhões em confinamento de bois em MG

Agronegócio

Chalet vai investir R$ 9 milhões em confinamento de bois em MG

Capacidade passará de 20 mil para 70 mil bois em regime fechado até 2012
Por: -Margareth Castro
6 acessos

Com a instalação de uma usina de cana-de-açúcar e álcool em sua unidade de Uberlândia (MG), a partir de meados de 2009 a Chalet Agropecuária pretende praticamente quadruplicar sua capacidade de confinamento de bois, passando dos atuais 20 mil para 70 mil até 2012. A ampliação do "boitel" — hotel para bois — vai acontecer de forma gradativa, com o confinamento de mais 10 mil cabeças a cada ano. As obras serão realizadas juntamente com as da usina a partir de julho do ano que vem. O investimento em construção e equipamentos deve girar em torno de R$ 9 milhões.

De acordo com dados da Emater/MG, somente as regiões do Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Noroeste confinam atualmente cerca de 200 mil bovinos por ano, que representam mais de 80% de todos os animais neste sistema de engorda e terminação no Estado. Entre os fatores que justificam o grande volume de gado confinado na região estão a disponibilidade de alimentos em função das lavouras de milho e sorgo e também a presença de frigoríficos na região que trabalham com exportação.

O diretor de operações da Usina Nova Energia Açúcar e Álcool Ltda., Maurício Lima, conta que os investimentos visam, principalmente, o rebanho de terceiros, embora a empresa também tenha bois confinados. "A intenção é atender os produtores de Minas Gerais, especialmente, da região", disse. Segundo ele, o projeto só será viabilizado porque o bagaço de cana da usina será utilizado como volumoso para a dieta dos animais, que hoje é feita de silagem de milho e sorgo. "Isto estava inviabilizando o projeto por causa dos custos", justificou.

Maurício Lima explica que o bagaço de cana passará por um processo de hidrólise e isso reduzirá entre 25% a 30% o custo da diária, que atualmente é de R$ 3,90. De acordo com ele, o uso da alta tecnologia e a formulação de dietas fazem com que o bagaço de cana se torne viável em função do preço final da arroba engordada. "A eficiência de engorda é a mesma do sorgo e do milho", esclareceu.

Com os investimentos, o número de postos de trabalho no "boitel" vai passar de 36 para até 150. Como a entrada de animais ocorre no período de entressafra, normalmente, a partir da segunda quinzena de maio até novembro, a ampliação da estrutura permitirá o giro em dois turnos, uma vez que o gado permanece confinado por volta de 80 a 90 dias. Geralmente, o boi chega com idade entre dois e dois anos e meio e, no período de confinamento, ganha em média 60 quilos.

A Chalet Agropecuária foi a pioneira no País na prestação de serviço como o "boitel". Apesar de ter unidades no Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e São Paulo, a empresa só oferece este tipo de confinamento em Uberlândia. Maurício Lima diz que o projeto de ampliação já está sendo divulgado entre os parceiros e fornecedores.

Empresa produz mudas de cana

O arrendamento de terras para plantio da cana-de-açúcar que será utilizada na Usina Nova Energia Açúcar e Álcool Ltda já está em fase adiantada. Até o final do ano passado, a Chalet Agropecuária tinha 120 hectares de mudas próprias. O diretor de operações da usina, Maurício Lima, adiantou que agora estão sendo produzidos 1,2 mil hectares de mudas. A intenção é que a usina, que será instalada a 30 quilômetros de Uberlândia, comece a funcionar em 2009.

Ao todo foram arrendados aproximadamente sete mil hectares e os parceiros estão sendo escolhidos em um raio de 30 quilômetros. O grupo possui 4,8 mil hectares. No primeiro ano deve ser moído um milhão de toneladas de cana-de-açúcar, devendo chegar a 3 milhões de toneladas por safra nos anos seguintes. Maurício Lima afirma que, além dos arrendamentos, a usina está trabalhando com fornecedores que possuem perfil agrícola, com uma variação de 15% a 20%. A Usina Nova Energia deve gerar cerca de 3,5 mil a 3,7 mil empregos diretos.

Benefícios do confinamento

· Preço da arroba: os animais terminados em confinamento são abatidos na entressafra e, com isso, existe uma possibilidade maior de se obter um melhor preço na comercialização

· Redução da idade de abate: devido ao grande ganho de peso dos animais confinados, consegue-se reduzir a idade de abate dos animais. Isso influencia positivamente o resultado à medida que aumenta o giro da empresa rural, componente determinante da rentabilidade

· Manutenção: os sistemas de confinamento demandam o acompanhamento de profissionais especializados para o controle da sanidade animal e, principalmente, da alimentação com vistas ao ganho de peso e à economia com os compostos alimentares

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink