Chicago impulsiona leva alta na soja

EUA

Chicago impulsiona leva alta na soja

"Exportadores relataram ao USDA vendas de 132 mil toneladas de soja para destinos não revelados"
Por: -Leonardo Gottems
630 acessos

Informações divulgadas pelo especialista Luiz Fernando Pacheco, analista de mercado da T&F Consultoria Agroeconômica, indicam que o aumento nas vendas externas de soja americana impulsionou alta leve da soja nesta segunda-feira (10.09). Segundo ele, um dos fatores fundamentais para isso acontecer foram os contratos futuros da Bolsa de Chicago que fecharam em alta. 

“Os contratos futuros de soja na Bolsa de Chicago (CBOT) fecharam em alta nesta segunda-feira, sustentados por sinais de demanda pela oleaginosa norte-americana e por um ajuste de posições antes do relatório mensal de oferta e demanda que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulgará na quarta-feira (12.09). O vencimento de novembro subiu 1,25 cent (0,15%) e terminou a US$ 8,4525/bushel”, informa. 

Nesse cenário, Pacheco diz que “exportadores relataram ao USDA vendas de 132 mil toneladas de soja para destinos não revelados com entrega prevista para o ano comercial 2018/2019. Além disso, segundo o USDA, os embarques ao exterior de soja dos EUA aumentaram 19,2% na semana encerrada em 6 de setembro, para 924.839 toneladas”. 

De acordo com o analista, os exportadores dos EUA venderam 600 toneladas de soja da safra 2017/2018 na semana que foi encerrada no dia 30 de agosto. Para a safra 2018/2019, já foram vendidas 672,6 mil toneladas, sendo que a soma das duas safras totaliza 673,2 mil toneladas, dentro das estimativas de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, de 500 mil a 1,35 milhão de toneladas. 

“Contudo, para os estoques finais domésticos, analistas esperam que o USDA reduza a sua previsão para 2017/18 de 430 milhões de bushels  (11,70 milhões de toneladas) para 418 milhões de bushels (11,38 milhões de toneladas). Já a projeção para o estoque dos EUA em 2018/19 teria leve aumento, de 935 milhões de bushels (25,45 milhões de toneladas) para 938 milhões de bushels (25,53 milhões de toneladas)”, finaliza Pacheco. 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink