Chuvas atrasam colheita e prejudicam soja no MT

Agronegócio

Chuvas atrasam colheita e prejudicam soja no MT

Em algumas regiões, os grãos apresentam problemas de umidade acima do indicado
Por:
2954 acessos
Em algumas regiões, os grãos apresentam problemas de umidade acima do indicado

Excesso de chuvas que caiu no final de fevereiro e início de março deste ano em Mato Grosso prejudicou consideravelmente a colheita da soja e o plantio do milho de segunda safra (safrinha) o que, segundo especialistas, pode levar a riscos de perdas na safra 2010/2011, mesmo com previsões de recorde de produção, feita anteriormente pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Por outro lado, o presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), Glauber Silveira, diz não acreditar que a produtividade diminua, mas que certamente vai haver problemas de umidade na oleaginosa do Estado e com isso alguns sojicultores terão algumas perdas.


O produtor explica que podem acontecer prejuízos individuais e pontuais em algumas regiões onde as chuvas foram mais rígidas, mas não em toda as propriedades. Entre elas nas lavouras plantadas nos municípios de Itiquira e Alto Taquari, no sul mato-grossense; e Sapezal e Campos de Júlio, no Noroeste. As estimativas são de que cerca de 30% da soja colhida nestes locais tenham algum tipo problema em consequência da umidade e interrupção da colheita.

De acordo com boletim divulgado pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) no dia 21 de março, até esta data Mato Grosso havia colhido 66,6% da área plantada ante os 50% que havia alcançado na semana anterior, este avanço de 16,6 pontos percentuais foi o maior avanço semanal registrado desde quando o Imea iniciou os acompanhamentos de colheita em 2008. Em 10 de março, Mato Grosso havia colhido 50% da área plantada com soja, sendo que no levantamento do ano passado, este percentual foi atingido em 25 de fevereiro, ou seja, um atraso de 27 pontos percentuais (p.p.) em relação à safra passada, referente a 12 dias.


Durante a semana que passou, as perdas ampliaram na região Oeste e Sul do Estado por conta das chuvas que persistiram, intensificando as avarias na soja pronta para colher. Assim, muitas cargas de soja colhidas nas últimas semanas estavam com umidade acima do adequado e houve áreas que já não possuíam condições de serem colhidas em virtude das avarias. Porém, são áreas de pequena expressividade diante a realidade estadual. E ainda, segundo a Somar Meteorologia o clima continuará chamando a atenção, havendo chuvas em todo Estado e com maior intensidade no Norte, onde os produtores já estão em alerta para colher e garantir a qualidade do grão.

O produtor rural Ricardo Tomczyk, proprietário da fazenda Buriti, no município de São José do Rio Claro (315 km a Médio Norte da Capital), diz que o excesso de chuvas interrompeu sua colheita por mais de uma semana. Segundo ele, por várias vezes as máquinas estavam trabalhando a chuva começava e o trabalho tinha que ser interrompido. "Ainda é um pouco cedo, mas em função da alta umidade avaliamos que teremos pelo menos 15% de perdas, com a soja deteriorada".

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink