Chuvas dificultam plantio do trigo
CI
Agronegócio

Chuvas dificultam plantio do trigo

O tempo instável, com céu encoberto, alta umidade e chuvas, ocorrido nos últimos dias está retardando a semeadura das lavouras de trigo no Rio Grande do Sul. De acordo com o levantamento semanal sobre a situação das culturas da Emater/RS, o solo está preparado em 82% da área, enquanto que a média histórica é de 94%. O plantio já se encontra concluído em 62% das lavouras, com uma defasagem de 16 pontos percentuais em relação à média, e a germinação já iniciou em 58% da área, contra os 70% da média histórica. O atraso também ocorre em relação à cevada e à aveia. No entanto, os técnicos afirmam que a situação não é preocupante, uma vez que a época preferencial para o plantio se estende até meados de julho.

Aproximadamente 98% da área da 2ª safra do feijão no Estado já se encontram colhidos. A qualidade dos grãos dessa safrinha é considerada boa, superando à da safra normal. O preço médio recebido pelos produtores no Rio Grande do Sul, na semana, foi de R$ 66,79, R$ 1,54 menor que o da anterior, mantendo a tendência de queda e que deverá vigorar por um certo tempo, até o início da entressafra no Estado. Grande parte dessa produção fica com os próprios produtores, para consumo na propriedade e reserva de sementes para a próxima safra.

Hortigranjeiros

Para os hortigranjeiros, as condições de clima e tempo foram favoráveis, pois mesmo a umidade e as temperaturas mais quentes do que as normais para a época não prejudicaram o desenvolvimento das olerícolas. A safrinha da batata encontra-se em plena colheita, com 25% já efetivados na região da Serra e 45% na Zona Sul. O preço recebido pelo produtor, nessas duas áreas, está por volta de R$ 40,00 o saco de 50 quilos. A qualidade do produto colhido até aqui é boa, com rendimentos perto das 12 toneladas por hectare na Serra.

Criações

Neste período, os pastos ficam mais fibrosos e é normal a perda de qualidade dos campos. Para suprir essa escassez, muitos produtores cultivam pastagens de inverno. Porém, de um modo geral, as áreas são insuficientes para atender a demanda dos animais. Mas, como não ocorreram geadas mais intensas ou temperaturas muito baixas, as pastagens naturais não estão muito crestadas. Segundo os técnicos da Emater/RS, de uma maneira geral, as últimas chuvas estão favorecendo o desenvolvimento das pastagens cultivadas de inverno, apesar da pouca luminosidade que predominou na semana que passou. As que foram implantadas mais no cedo já estão sendo mais utilizadas. Contudo, na região da Campanha, o excesso de umidade no solo está prejudicando o desenvolvimento e, principalmente, o acesso dos animais, que está sendo controlado para evitar o pisoteio em solo úmido e em plantas com o sistema radicular pouco desenvolvido. Por esta razão, nesta região e na Zona Sul, a produção de leite não aumentou, ao contrário do que vem ocorrendo no restante do Estado. Nos bovinos de corte, o estado corporal é bom, mas os animais já começam a perder peso.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.