Chuvas não prejudicam desenvolvimento da lavoura de soja em Rondonópolis (MT)


Agronegócio

Chuvas não prejudicam desenvolvimento da lavoura de soja em Rondonópolis (MT)

Por: -Admin
1 acessos

As chuvas que atingem a região produtora de soja de Rondonópolis, no sul do Mato Grosso, cuja área está estimada em 248 mil hectares, não são motivo de preocupação. Segundo fonte da Sementes Maggi, de atuação na região, as chuvas são esparsas, com trégua de 3 a 4 dias, colaborando para o desenvolvimento das lavouras e até aplicação de defensivos.

Cerca de 0,8% das lavouras da região já foram colhidas, 1,2% encontram-se em fase de maturação, 64% em fase de granação e 34% em fase de floração. A colheita da soja precoce na região inicia entre o final de fevereiro e o início de março. O grosso da colheita ocorre na segunda quinzena de março, completa a fonte. Como a colheita na região ainda está em fase inicial, o excesso de chuvas não chega a preocupar ou atrapalhar o desenvolvimento das lavouras. "O aspecto das lavouras é bom e a incidência de doenças e praga está dentro do normal, recebendo o controle habitual", informa fonte ligada à empresa.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink