Cia. Minuano define plano de recuperação
CI
Agronegócio

Cia. Minuano define plano de recuperação

Por:

A Companhia Minuano de Alimentos, com sede no Rio Grande do Sul, está finalizando seu plano de recuperação. A empresa tem planos de voltar a operar no mercado interno de maneira agressiva já partir do próximo ano. Para isso, está estudando a formação de parcerias com outras companhias para reativar a unidade de Passo Fundo (RS), com capacidade de abate de 50 mil aves por dia. Nesta unidade são produzidos frangos inteiros e em cortes. "Poderemos manter a unidade operando marca própria e produzindo para terceiros", diz Décio Schnark, diretor financeiro da Minuano, empresa que pediu concordata há duas semanas.

A Minuano tem um prazo de dois anos para saldar dívidas de R$ 22,4 milhões com fornecedores; 40% deste valor será quitado no primeiro ano e o restante será pago no segundo ano. A fábrica de Passo Fundo foi fechada há duas semanas, mas deve ser reativada no início do próximo ano, segundo expectativas do diretor da companhia. A empresa ainda mantém em funcionamento a unidade industrial de Arroio do Meio (RS), onde produz embutidos à base de carne de frango, destinados aos mercados nacional e internacional.

Acordo com Avipal

Como parte do processo de reestruturação, a empresa assinou três acordos com a Avipal pelo período de cinco anos. O primeiro prevê o abate de 120 mil aves por dia no frigorífico que a empresa mantém em Lajeado (RS), durante 5 dias por semana até o final deste ano, passando para 6 dias por semana a partir de janeiro de 2003. "Neste caso a remuneração será por tonelagem", diz. A previsão é de que este acordo proporcione faturamento mensal da ordem de R$ 1,6 milhão a partir de janeiro.

Outro acordo entre as duas companhias prevê o arrendamento da fábrica de rações, em Arroio do Meio (RS), com capacidade de produção de 20 mil toneladas/mês, para a Avipal, proporcionando receita mensal de R$ 100 mil à Companhia Minuano. Além disso, também está previsto o fornecimento de 650 mil pintos de um dia por semana, que renderá R$ 850 mil por mês. A Minuano mantém sua marca em produtos que, a partir destes acordos, serão exportados pela Avipal. O objetivo da companhia é reposicionar, no curto prazo, a marca Minuano no mercado interno.

As exportações representam cerca de 30% do faturamento bruto. Os principais compradores são Alemanha, Argentina, Itália, Japão, Hong Kong, Holanda, Singapura, Ilhas Canárias, Grécia, Suíça, Caribe e Oriente Médio. Com um portfólio de mais de 100 produtos, a Minuano se destaca entre as maiores empresas no país no ranking dos exportadores de carnes e industrializados de aves. Em 2001, as perdas da Minupar, controladora da Minuano, somaram R$ 2,34 milhões. No primeiro semestre deste ano a empresa registrou lucro líquido de R4 836 mil.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.