Cientistas buscam aprovação para testes de trigo OGM

PESQUISA

Cientistas buscam aprovação para testes de trigo OGM

Teor de ferro da farinha de trigo ainda é insuficiente para a nutrição humana
Por: -Leonardo Gottems
242 acessos

Pesquisadores do John Innes Center, em Norwich, na Inglaterra, se inscreveram junto às autoridades regulatórias do Reino Unido para tentar realizar testes de campo com trigo geneticamente modificado ainda no mês de abril de 2019. Nesse cenário, a variedade a ser testada tem uma propriedade onde mais ferro é direcionado para o endosperma. 

Em 2017, eles identificaram um gene, o TaVIT2, que codifica um transportador de ferro no trigo. Para que pudessem tirar conclusões práticas sobre a variedade, os testes de pesquisa seriam realizados no John Innes Center, no Norwich Research Park, entre abril e setembro de cada ano, entre 2019 e 2022. 

"A deficiência de ferro ou anemia é um problema de saúde global, mas o teor de ferro das culturas básicas, como o trigo, tem sido difícil de melhorar usando a criação convencional e, como resultado, muitos produtos de trigo para consumo humano são artificialmente enriquecidos com ferro. Aumentar a qualidade nutricional das culturas, conhecida como biofortificação, é uma abordagem sustentável para aliviar as deficiências de micronutrientes”, disse o John Innes Center. 

Segundo o John Innes Center, a farinha branca contém tipicamente entre 5 e 8 mg de ferro por kg, o que é baixo para a nutrição humana. Como resultado, muitos países, incluindo o Reino Unido e os Estados Unidos, enriquecem a farinha e outros alimentos com ferro e outros nutrientes. "No Reino Unido, há uma exigência legal para levar a concentração de ferro de farinha moída até 16,5 mg por kg. Você vai encontrar 'ferro' como ingrediente em muitos produtos de trigo, como embalagens de farinha, sanduíches, confeitos, etc”. 

“Utilizando métodos modernos de melhoramento de plantas, pesquisadores do John Innes Center desenvolveram uma linha de trigo que contém 20 mg por kg de ferro em farinha branca moída quando as plantas são cultivadas em condições de estufa. Assim, em princípio, não haveria mais a necessidade de adicionar ferro como ingrediente extra à farinha de trigo”, conclui.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink