Cientistas reconstroem ligações genéticas do pêssego

ESTUDO

Cientistas reconstroem ligações genéticas do pêssego

O objetivo era reconstruir a história genética das variedades de pêssego utilizados na Argentina
Por: -Leonardo Gottems
131 acessos

Pesquisadores do Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária (INTA) identificaram as relações genéticas que existem entre as variedades de pessegueiros conservados no banco de germoplasma do instituto. O estudo analisou duas variedades selvagens e mostrou que elas têm características dos tempos coloniais. 

De acordo com os cientistas, o objetivo era reconstruir a história genética das variedades de pêssego utilizados no país. A partir disso, eles foram capazes de identificar as relações genéticas entre as cerca de 200 variedades conservadas no banco de germoplasma Instituto, sendo que a maioria é destinada para consumo fresco. 

Além de construir árvores filogenéticas que expressam os laços e semelhanças genéticas entre amostras, pela primeira vez no país, o estudo incluiu a análise de duas variedades de pêssego cujo fruto feral conhecido como cuaresmillo e mostrou que eles têm características genéticas que sugere sua introdução nos tempos coloniais. Gerardo Sanchez, especialista em biotecnologia do INTA, afirmou que "estes resultados permitem, por um lado, conhecer o potencial de variabilidade genética na coleção do instituto e, por outro lado, tomar decisões a respeito de qualquer par de genótipos”. 

No caso de culturas "é útil conhecer o índice de semelhança de todas as combinações de pares de variedades, uma vez que, em geral, se geneticamente materiais muito semelhantes atravessar, será obtida a descendência com variabilidade reduzida" avaliada Sánchez. 

As descrições genéticas facilitam a tomada de decisão na criação e, portanto, são o passo anterior para a identificação dos genes que controlam as características agronômicas de importância para o aprimoramento como as exigências térmicas, a resistência a doenças e a qualidade da fruta, por exemplo.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink