Clima seco nos EUA faz soja subir na CBOT

Agronegócio

Clima seco nos EUA faz soja subir na CBOT

O clima quente fez a soja subir para US$ 866 centavos na Bolsa de Chicago
Por:
108 acessos

Depois do efeito da divulgação do relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (Usda), o mercado de grãos voltou a se nortear pelas condições climáticas das lavouras americanas. O clima quente fez a soja subir para US$ 866 centavos de dólar por bushe na Bolsa de Chicago (CBOT), alta de 1,1% em relação à sexta-feira passada (contratos com vencimento em setembro). "O movimento foi de especulação em cima do clima quente, sobretudo na região Sul do País e no estado do Kansas", diz Gonzalo Terracini, analista de risco da consultoria FCStone.

"Mas as previsões são de que essa onda de calor seja amenizada no final de semana", completa o especialista. O resultado para o mercado brasileiro, segundo Terracini, é que os prêmios para exportação nos portos do Brasil estão fortalecidos, movimento reforçado, principalmente, pela pouca disponibilidade de soja no mercado interno.

Diante das boas previsões de clima em plena época de furacões na Flórida, as cotações do suco de laranja na Bolsa de Nova Iorque (Nybot) voltaram a cair. Os contratos com vencimento em novembro fecharam em US$ 130,20 centavos de dólar por libra-peso, recuo de 1,1% em relação ao pregão de sexta-feira passad, quando o suco fechou em US$ 131,70 centavos de dólar por libra-peso.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink