Agronegócio

CNA analisa parâmetros de qualidade do leite no Brasil

O tema foi discutido nesta quarta-feira (18/9)
Por:
826 acessos
O número de amostras de leite coletadas nas propriedades rurais para análise da qualidade do produto passou de 2,4 milhões em 2011 para 2,7 milhões em 2012, segundo dados da Rede Brasileira de Laboratórios de Controle da Qualidade do Leite (RBQL). Para o setor leiteiro, este crescimento é considerado positivo, pois mostra o engajamento maior do setor leiteiro em aprimorar a qualidade. No entanto, na avaliação dos produtores, outras questões precisam ser melhor trabalhadas para que se tenha um diagnóstico fiel da qualidade do leite brasileiro.


O tema foi discutido nesta quarta-feira (18/9), em reunião da Comissão Nacional de Pecuária de Leite da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). No encontro, o presidente da Comissão, Rodrigo Alvim, defendeu que a análise dos dados de qualidade deve ser baseada em estatísticas mais precisas, com o objetivo de traçar um panorama mais exato da qualidade do leite brasileiro. “A amostragem de produtores não é a mesma de um ano para o outro. Esse fato por si só já impede de avaliarmos se a qualidade do leite melhorou ou piorou”, ressaltou.

Neste contexto, os participantes discutiram a criação de um banco de dados único para análise estatística desses dados. As informações, como o volume de produção da propriedade e seu impacto na região, devem ser periodicamente atualizadas de forma a permitir monitoramentos mais precisos sobre a qualidade do produto. Para isso, todos apoiaram o Projeto da Embrapa Gado de Leite que irá tabular e analisar todo o banco de dados dos laboratórios.


Segundo o gerente do Programa de Análise de Rebanhos Leiteiros do Paraná, da Associação Paranaense de Criadores de Bovinos da Raça Holandesa (PARLPR/APCBRH), José Augusto Horst, um dos convidados para a reunião, os laboratórios já estão estruturados para atender essa demanda.

Outros temas - As medidas do Plano Agrícola e Pecuário (PAP) para o setor leiteiro também foram discutidas no encontro. Um dos pontos abordados foi a contratação de crédito do Programa Inovagro, destinado a impulsionar a produtividade e competitividade do setor com inovação tecnológica. Hoje, o acesso à linha de crédito deste programa está condicionado à adesão de produtores a alguns programas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), ligados a boas práticas de produção. No entanto, os participantes defenderam que a obtenção dos recursos deste programa esteja vinculada a tecnologias que aumentem a produtividade e melhorem a qualidade do leite.


Foi abordado, ainda, o atual cenário de grãos, em palestra do assessor técnico da Comissão Nacional de Cereais, Fibras e Oleaginosas da CNA, Leonardo Machado. Por último, os participantes discutiram a proposta do Plano Mais Pecuária, do Ministério da Agricultura, que busca uma produção mais sustentável na pecuária.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink