CNA debate conectividade no campo em evento sobre transformação digital
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,032 (0,20%)
| Dólar (compra) R$ 5,58 (-1,03%)

Imagem: Pixabay

TECNOLOGIA

CNA debate conectividade no campo em evento sobre transformação digital

Censo Agropecuário apontou que 72% dos estabelecimentos rurais não possuem de conexão com a Internet
Por:
710 acessos

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) participou, na terça (06), do evento Digital Transformation Day, um fórum com quatro painéis temáticos para debater a transformação digital e sua revolução nas organizações.

O coordenador do GT de Tecnologia da CNA, Reginaldo Minaré, foi um dos debatedores do painel “Agropecuário & Florestal”. Ele falou sobre a importância da conectividade para melhorar as condições de produção, comércio, conforto e segurança das famílias no campo.

Segundo Minaré, dados do último Censo Agropecuário apontaram que, aproximadamente, 72% dos mais de cinco milhões de estabelecimentos rurais brasileiros estão off-line. Para ele, o Brasil precisará investir em conectividade se quiser utilizar as tecnologias disponíveis e produzir mais para alimentar uma população mundial que aumentará de forma acelerada nas próximas décadas.

“Hoje, o produtor compra máquinas com tecnologia de última geração, mas não pode usar os benefícios da tecnologia embarcada porque precisa de conectividade, ou seja, ela paga por ela, mas não utiliza”, disse.

Na opinião dele, investimentos na cobertura digital com satélite e fibra ótica são fundamentais para que o País possa reverter a defasagem existente. O desenvolvimento gerado potencializa a renda dos agricultores, permite a criação dos ecossistemas econômicos rurais e desempenha um papel fundamental na fixação e na sustentabilidade das famílias no campo e nas pequenas cidades.

“O agro é um mecanismo de distribuição de renda muito interessante. Temos que aproveitar o potencial que o campo e as pequenas cidades têm para acolher profissionais e produzir renda e riqueza para todos brasileiros. Quanto mais aplicarmos em tecnologia, mais isso vai se potencializar e mercados no mundo não faltarão”, afirmou.

Minas Gerais - A coordenadora da Assessoria Técnica da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg), Aline Veloso, também participou do debate. Ela abordou a importância e a diversidade produtiva da agropecuária mineira, além de produtos e ações da Federação.

Conforme Aline, existem mais de 600 mil propriedades rurais no estado e 2,5 milhões de pessoas envolvidas com a atividade. Minas Gerais é o maior produtor do Brasil de alho, batata, café e leite, entre outras culturas. O Valor Bruto da Produção (VBP) agropecuária mineira deverá alcançar R$ 82,7 de bilhões em 2020, um crescimento de 19,8% em relação ao no passado.

“A agenda do futuro tem desafios como as questões ambientais, investimentos em tecnologia e inovação para aumentar a produtividade e transformação digital. Por outro lado, as oportunidades são muitas e temos condições de desenvolver ainda mais o agro”, declarou Aline.

O painel também contou com a participação do diretor-presidente da Emater-MG, Gustavo Laterza; do coordenador de Tecnologia e Inovação da Emater-MG, Péricles Marques; do diretor de Suprimentos, Controladoria e Florestal da Rima Industrial, Daniel Kaukal; e dos representantes da Engineering Digital Transformation Company, Thiago Mascarenhas e Michele Liguoro.

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink