CNA e Embrapa apresentam resultados parciais de estudos do Projeto Biomas na Caatinga

Agronegócio

CNA e Embrapa apresentam resultados parciais de estudos do Projeto Biomas na Caatinga

Dia de Campo será realizado no Ceará
Por:
1980 acessos

O Projeto Bioma Caatinga, desenvolvido pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), realiza, na próxima quinta-feira, (16/06), o primeiro Dia de Campo sobre a Caatinga, na área experimental do projeto, em Ibaretama, há 143 quilômetros da capital Fortaleza. O evento deve receber, na fazenda Triunfo, 200 convidados para conhecer 17 projetos ligados àquele bioma.

Voltado para produtores rurais, técnicos, representantes de órgãos públicos e pesquisadores, o Dia de Campo busca divulgar resultados de estudos para viabilizar a restauração ambiental, com aproveitamento econômico, utilizando o plantio de árvores em propriedades rurais no bioma Caatinga. O evento tem participação da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará - FAEC.

Os projetos em desenvolvimento apresentam soluções para a inserção de espécies florestais nas fazendas da região, com técnicas que contemplem as exigências legais e contribuam para o aumento da diversidade biológica na propriedade, promovendo melhorias ambientais e novas opções de ganhos econômicos. Para o coordenador nacional do Projeto Biomas, da Embrapa Florestas, Gustavo Curcio, o objetivo é “demonstrar para os produtores da região que é possível suprir demandas, organizando o sistema biológico na propriedade, introduzindo árvores para reserva legal, para área de preservação permanente e para fins econômicos”.

A Caatinga é frequentemente associada à seca, pobreza e pouca biodiversidade, mas ao contrário do que se pensa, esse bioma confere valores biológicos e econômicos significativos para o país. A “floresta branca”, como é chamada em tupi-guarani, evita a emissão do gás carbônico (CO2), conserva a água e o solo e é fonte de matérias primas como frutos silvestres, forragem, fibras e plantas medicinais. A principal atividade econômica desenvolvida no ecossistema é a agropecuária.

O evento, previsto para iniciar às 7h30 e vai ser realizado nos cinco circuitos das estações temáticas:

Estação 1 – Área de Setor Produtivo (ASP).
Estação 2 – Complementar: demonstração de uso de hidrogel, mudas, controle de formigas etc.
Estação 3 – APP – Área de Preservação Permanente.
Estação 4 – ARL – Área de Reserva Legal.
Estação 5 – RAD – Recuperação de Área Degradada

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink