Coimex quer dobrar exportação de soja e faturamento
CI
Agronegócio

Coimex quer dobrar exportação de soja e faturamento

Por:

A Coimex Trading Company, de capital nacional, está investindo cerca de US$ 16 milhões para praticamente duplicar suas exportações de soja em 2004. Em 2003, a empresa embarcou pelo porto de Paranaguá (PR) 635 mil toneladas até novembro (não há novas exportações programadas para dezembro). Em 2002, foram 453 mil, de uma exportação total de grãos de 889 mil toneladas.

Com os investimentos que estão sendo realizados, a Coimex passará a utilizar, além de Paranaguá, também os portos de Rio Grande (RS), São Francisco (SC) e Santos (SP) para escoar a soja. E, segundo Roger Haybittle, diretor de grãos da trading, a meta é que os embarques por esses terminais alcancem pelo menos 600 mil toneladas no próximo ano. Pelo porto paranaense, a expectativa é que o volume permaneça entre 600 mil e 650 mil toneladas, de acordo com Haybittle.

A diversificação de saídas para o produto faz parte de uma estratégia que também prevê a ampliando da área de captação de soja da Coimex, hoje concentrada no Paraná, em Minas Gerais, em Goiás e no Mato Grosso do Sul. "Passaremos a captar também no Rio Grande do Sul e no Mato Grosso, Estados que vêm registrando bons aumentos na produção de soja", diz Haybittle.

Para isso, estão sendo aplicados US$ 10 milhões em estrutura de armazenagem. Hoje, a capacidade estática de armazenagem de grãos da Coimex é de 160 mil toneladas. A expectativa é chegar a 210 mil toneladas em 2004. Conforme Haybittle, outros de US$ 5 milhões a US$ 6 milhões estão sendo destinados à aquisição de vagões e locomotivas para melhorias da estrutura de transporte da trading brasileira.

Com o projetado avanço nas exportações de soja, a Coimex Trading Company também prevê forte aumento em seu faturamento em 2004. A previsão é que sua receita líquida de vendas salte para US$ 803,73 milhões, ante os US$ 455,76 milhões previstos para este ano e os US$ 382,17 milhões apurados em 2002.

E, nas exportações agrícolas, a soja deverá desbancar inclusive o café, até agora o carro-chefe da empresa. Haybittle lembra que a Coimex começou a trabalhar com o grão em 1999, ano em que também estrearam suas operações com açúcar e álcool. Em 2002, foi a vez de os embarques de carnes entrarem na pauta.

"Para os acionistas e para o comando da empresa, de fato a soja ganhou muita importância. Mas a companhia como um todo está em fase de expansão", afirma. Também colaborou para o avanço observado nos últimos anos a abertura de um escritório em Genebra, em 2000. A Europa é o terceiro principal mercado externo para a soja da Coimex; o primeiro é a China, que absorve 15% dos embarques, e o segundo é o Irã.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink