Colheita de algodão na Bahia atinge 37% da área

Agronegócio

Colheita de algodão na Bahia atinge 37% da área

Os cotonicultores se preparam para 07/08 e muitos já negociaram a de 2010
Por: -Giuliano
41 acessos

A colheita do algodão no Oeste da Bahia chegou a 100 mil hectares, ou 37% da área plantada. Os cotonicultores agora se preparam para a safra 2007/08 e muitos já negociaram a safra de 2010. O Oeste registrou nesta safra um crescimento de 30,5% na produção de algodão, saindo de 772 mil toneladas de caroço para mais de um milhão de toneladas. Houve aumento de 29% na área plantada, o que consolida o estado como o segundo maior produtor de algodão do país, atrás apenas do Mato Grosso.

Hoje a Bahia já responde por 30% da pluma produzida no país. O ano que ainda está longe de acabar entra para a história como um dos melhores desde que a atividade algodoeira se instalou na região, há aproximadamente uma década. No estágio atual da colheita, a produtividade média está em torno de 280 arrobas de caroço por hectare, mas a colheita deve terminar entre 250 e 260 arrobas por hectare, o que, em pluma, corresponde a, aproximadamente, 104 arrobas por hectare. A colheita prossegue até o final de julho.

E não foi apenas em índices de produção e produtividade que o estado teve bom desempenho. Os especialistas afirmam que esta é a melhor safra em termos de qualidade de toda a história da cotonicultura baiana. Para o consultor Celito Breda, da empresa Círculo Verde, os níveis de excelência alcançados em aspectos ligados à finura, resistência, reflectância e maturidade do fio, dentre outros, superam os melhores índices já alcançados no estado. "Não há dúvida de que o algodão da Bahia é o melhor do Brasil e o mercado percebe isso de tal forma, que o número de tradings chegando ao Oeste está disparando nesta safra", afirma o consultor

O algodão tem um papel sócio-econômico fundamental para o oeste baiano e para o estado como um todo. Mais de 12 mil empregos diretos, permanentes e temporários, são gerados na produção primária, envolvendo preparo de solo, plantio, capina, tratos culturais e colheita. Além desses postos de trabalho, outros 3mil são gerados nas 54 beneficiadoras que processam a produção da região. O algodão já correspondeu na última safra a 51% do Valor Bruto da Produção (VBP) do Oeste da Bahia, excetuando-se a pecuária. A receita regional obtida pela cultura deve ficar em, aproximadamente, R$1,6 milhões na safra 2006/07.

Nos últimos três anos, quando se abateu sobre o agronegócio uma das maiores crises das ultimas décadas, o algodão ajudou a manter aquecida a economia regional. "Como a matriz produtiva local é muito diversificada, o produtor que tinha algodão conseguiu atravessá-la com menos dificuldades, pois os preços estavam melhores", lembra o presidente da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), Walter Horita. As informações são da assessoria de imprensa da Aiba.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink