Colheita do milho avança 6,6% na última semana em Mato Grosso

Agronegócio

Colheita do milho avança 6,6% na última semana em Mato Grosso

Na última semana, o Imea estimou uma queda na produção total do milho safrinha no Estado
Por:
342 acessos

Na última semana, o Imea estimou uma queda na produção total do milho safrinha no Estado

O Instituto Mato-grossense de Economia (Imea) registrou um avanço de 6,6% na colheita do milho safrinha no Estado, na última semana. Segundo o boletim, 90,4% da área plantada (cerca de 4,3 milhões de hectares) foi colhida. O atual estágio é 2,62% maior que na safra anterior, que, no mesmo período, tinha uma colheita de 87,8% da área plantada.

A região mais avançada é o Médio-Norte, onde as máquinas passaram por 95,6% da área total de 1,8 milhões de hectares. A região Noroeste, com 92,9% colhidos de um total de 239 mil hectares aparece em seguida. No Oeste, a colheita avançou para 92,4% de uma área de 494 mil hectares. No Sudeste, foram colhidos 85,2% de uma área de 876 mil hectares.

No Centro-Sul, as máquinas avançaram em 83,6% da área de 297 mil hectares. No Nordeste, foram colhidos 82% da área de 414 mil hectares, enquanto que no Norte, o avanço chegou a 81,7% de uma área estimada em 109 mil hectares (a menor entre todas as regiões).

Na última semana, o Imea estimou uma queda na produção total do milho safrinha no Estado. A previsão é de uma safra de 19,33 milhões de toneladas do grão, o que representa uma quebra na safra de 6,9 milhões de toneladas, ante a safra 14/15.

E os resultados podem ser ainda mais negativos. Com cerca de 10% da nova safra a ser colhida, o instituto alerta que o “potencial de recuo produtivo pode ser ainda maior”. Os economistas também reajustaram os índices de produtividade. Agora, a média é de 75,9 sacas por hectare. Uma queda de 4,4%, ante a estimativa anterior (em julho), e de 30,1% em relação ao ano passado.

O efeito da escassez, sendo o Imea, é sentido na demanda pelo cereal em Mato Grosso. “Com os preços pagos pelo o mercado interno superando os preços de exportação, o consumo interno deve ter um incremento de participação em relação a produção desta safra”, aponta o boletim.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink