Colheita segue atrasada em Mato Grosso

Agronegócio

Colheita segue atrasada em Mato Grosso

Colheita deverá ser intensificada no final deste mês
Por: -Marianna Peres
1844 acessos
Das sete regiões de produção utilizadas como referência pelo Imea, apenas quatro deram início aos trabalhos: médio norte, oeste, centro-sul e sudeste

A colheita da safra de soja 10/11, em Mato Grosso, finaliza a primeira quinzena do ano em ritmo aquém ao registrado em igual período do ano passado. Conforme novo boletim de acompanhamento de colheita do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), apenas 0,7 da área plantada – mais de 6,21 milhões de hectares – estavam colhidos até o dia 13 deste mês. Comparando com o registrado há um ano, há um atraso de 2 pontos percentuais (p.p.).

A atualização dos números mostra que cerca de 40 mil hectares foram colhidos e já ofertam a soja da variedade precoce que foi plantada entre o final de setembro e o início de outubro do ano passado. Neste período, as condições de clima e solo não permitiram um plantio generalizado em todas as regiões do Estado e por isso, a colheita segue refletindo os efeitos do plantio mais tardio. Se o ritmo aplicado no campo agora fosse o mesmo registrado há um ano, mais de 150 mil hectares já estariam colhidos.

Em relação à semana passada, o avanço foi de 0,4 pontos percentuais e das três regiões que estavam colhendo, apenas uma deu início aos trabalhos nos últimos dias, a centro sul. Das sete regiões produtoras – divisão que serve de referência ao Imea – estão com os trabalhos em andamento: médio norte, oeste, centro sul e sudeste. Sem sinal de colheitadeiras entre as lavouras estão, noroeste, norte e nordeste.

Por mais uma semana, a região mais adiantada é a oeste com 1,9% da área de mais de 938 mil hectares colhida. A região que concentra mais de 40% da produção estadual, a médio norte, atinge 0,7% de uma extensão de mais de 2,45 milhões de hectares. As outras duas regiões, centro-sul e sudeste, têm 0,5% colhido.

Em relação aos municípios, o mais adiantado é Sapezal (460 quilômetros ao noroeste de Cuiabá). De uma área de 360 mil hectares destinados à sojicultura, 3% estavam colhidos até o último dia 13. Lucas do Rio Verde (360 quilômetros ao norte de Cuiabá), está com 1,5% da área de 235 mil hectares colhida.

Conforme a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) a atual safra segue com previsão de recorde para a sojicultura. As estimativas apontam para uma produção local de 19,49 milhões t, 3,9% acima da safra 09/10. Em relação à área, o aumento é de 2,4%, já que a cobertura vai a 6,37 milhões ha ante 6,22 milhões no ciclo 09/10. Se os números se confirmarem, a sojicultura estadual, que é a maior do Brasil, avança mais 2,4% em área e 3,9% em produção, o que garantiria o melhor resultado em mais de 30 anos de soja em Mato Grosso.

PLANTIO – Ontem, o Imea divulgou o primeiro levantamento do plantio de algodão. A semeadura atinge 68% da área de 595 mil hectares no Estado. Em boa parte do Estado, os trabalhos de colheita de soja já estão acontecendo, mas as chuvas dos últimos dias têm segurado o plantio do algodão 2ª safra. Enquanto isso, o algodão 1ª safra já tem 98% de sua área plantada. As estimativas também vêm confirmando uma inversão de área, já que devido às estiagens que atrasaram o plantio da soja, o algodão verão ganhou mais espaço. Na região nordeste a opção pelo algodão verão é nítida, pois 100% da área estão cultivadas. No noroeste e no sudeste a opção também foi pela fibra em primeira safra, já que 98% e 75% da superfície estão semeadas até o dia 13 deste mês.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink