Combinação de genes da resistência ao oídio

TRIGO

Combinação de genes da resistência ao oídio

Pesquisadores suíços criaram novas linhas de trigo pelo cruzamento de transgênicos Pm3
Por: -Leonardo Gottems
964 acessos

Uma colheita de trigo decente requer um cereal robusto. No entanto, as lavouras de trigo são frequentemente infectadas por doenças fúngicas, como o oídio. Por muitos anos, pesquisadores da Universidade de Zurique tem investigado um gene de trigo que traz resistência à doença.

O gene, chamado de Pm3 resistência, existe em diferentes variações, chamados de alelos. Em estudos anteriores, o pesquisador de plantas Beat Keller e sua equipe demonstraram que os alelos de Pm3 estão aptos para trazer resistência contra o fungo do oídio.

Ainda, a resistência do gene pode perder rapidamente a efetividade. Então quando se trata de melhoramento de planta, é importante combinar genes de resistência. Isso é exatamente que os pesquisadores da Universidade de Zurique testaram agora em campos experimentais usando linhas transgênicas de trigo.

Os pesquisadores que criaram novas linhas de trigo através do cruzamento de linhas transgênicas Pm3. Isso resultou em quatro novas linhas contendo duas variações diferentes de Pm3. “Essas quatro linhas demonstraram melhorar a resistência contra o oídio em campos experimentais comparados com as linhais parentais durante as safras de 2015 a 2017”, explicou Teresa Koller, líder do estudo.

De volta ao laboratório, os cientistas provaram que a atividade dos genes das linhas parentais foi acrescentado para as linhas criadas. Cada alelo de Pm3 nas quatro linhas mostrados na mesma atividade como na linha parental, que resulta em mais atividade em geral, uma vez que veio de duas variações de genes. “Isso melhorou a resistência contra o oídio e é resultado de um aumento total de atividade transgênica bem como a combinação das duas variações de Pm3”, resumiu Teresa Koller. A alta atividade geral dos genes resistentes não causaram nenhum efeito negativo para o desenvolvimento do trigo ou a sua produtividade.

As descobertas desses experimentos melhoraram o conhecimento geral do sistema imunológico das plantas e em particular as doenças fúngicas de resistência das plantas. Além de contribuir para a pesquisa fundamental na área de sistemas imunológicos, as descobertas também pode ser usadas no melhoramento de trigo. Devido aos testes precisos de alelo, as melhores variações e combinações são identificadas e podem ser usadas diretamente em cruzamento tradicional transformando-as em variedades de trigo modernas.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink