Comercialização do algodão em pluma da safra 2011/12 continua lenta
CI
Agronegócio

Comercialização do algodão em pluma da safra 2011/12 continua lenta

Até sexta-feira (27), por volta de 83% da área foi semeada no MT
Por:
A segunda quinzena de janeiro proporcionou bons avanços no plantio do algodão, principalmente pela queda do volume de chuvas. Até sexta-feira (27), por volta de 83% da área foi semeada e ainda restam 124.620 ha se a área estimada pela Ampa/Imea for confirmada. Como a janela de plantio está chegando ao fim, produtores de algodão têm a meta de terminar o plantio nos próximos 15 dias. Enquanto o plantio acontece, a comercialização da pluma continua lenta. Segundo estimativa da Ampa, apenas 48% da produção 2011/12 de Mato Grosso foi comercializada. A indefinição da área do produtor, ou a esperança de que os preços subam nos próximos meses, influencia o fechamento dos negócios. A Bolsa Brasileira de Mercadorias (BBM), registradora de parte dos contratos de algodão em pluma, obteve uma baixa liquidez no mês de janeiro, principalmente para contratos originados no Estado de Mato Grosso. Em janeiro, até dia 26, foram comercializadas 12.202 toneladas em Mato Grosso e 29.378 toneladas no Brasil para esta safra 2011/12. Com a produção de pluma estimada em aproximadamente 1 milhão de toneladas, ainda restam 528,4 mil toneladas a serem comercializadas.


Mato Grosso
Com o mercado focado na plantação do algodão 2ª safra, a semana foi marcada por preços estáveis. O valor da pluma não variou com relação à semana anterior. No município de Alto Garças o preço inicial foi de R$ 54,90/@ e fechou cotado a R$ 54,80/@ na sexta-feira (27). Já em Sorriso o preço cotado na segunda-feira foi de R$ 54,00/@ e terminou a R$ 53,90/@ na sexta-feira.

São Paulo
Os indicadores Cepea/Esalq continuam em ritmo estável. Isso se deve à reposição lenta dos estoques por parte das indústrias no mercado, aumentando a liquidez, mas não influenciando em negociações de quantidades expressivas. O indicador de preço para pagamento à vista iniciou a semana cotado a R$ 173,82 centavos/lp e no pagamento com prazo de 8 dias a R$ 175,20 centavos/lp. Ambos encerraram a semana cotados a centavos de R$ 172,90/lp e R$ 174,26/lp com pagamentos à vista e a prazo de 8 dias, respectivamente.



Mercado Futuro
Os contratos de algodão em pluma, com vencimento em julho/12, negociados na Bolsa de Nova Iorque (NYBOT), obtiveram variação semanal de -1,9% entre os dias 20 e 27 de janeiro. Na segunda-feira (23), os preços do contrato fecharam no valor máximo da semana, subindo até 124 pontos no dia, sendo o preço de fechamento US$ 99,30 centavos/lp. No entanto, os dias seguintes foram de baixa e o preço mínimo de fechamento ocorreu na sexta-feira (27), cotado a US$ 96,40 centavos/lp. A leve queda nos preços ocorreu em meio a poucas negociações e alguns cancelamentos de compra. Mesmo assim, a variação negativa ainda é pequena para relatar um cenário negativo. A variação mensal aponta alta de 7,2% para os mesmos contratos.

Oferta e Demanda
Segundo o relatório de oferta e demanda publicado em janeiro, pelo Departamento de Agricultura Americano (USDA), a projeção para produção de algodão nos Estados Unidos caiu 1% em relação aos números divulgados em dezembro. As projeções de consumo e importação continuaram constantes, porém houve mudanças na projeção de exportações, que seguiram o ritmo da produção e foram revistas em 65,3 mil toneladas para menos. Com isso, a projeção para os estoques finais americanos finalizou com alta de 6%, volume equivalente a 43,6 mil toneladas. Dentro dessa perspectiva, a capacidade de os Estados Unidos suprirem sua demanda interna aumentou, passando a sustentar o consumo em 20 dias a mais.


Exportação
Segundo dados da Secex, o algodão em pluma mato-grossense tem como principal destino o continente asiático, sendo a China o principal país comprador do produto em 2011, seguida pela Indonésia e Coreia do Sul. Isso ocorre devido à importância da indústria têxtil asiática ao redor do mundo, pois estes países adquirem a matéria-prima, a pluma in natura, e agregam valor ao produto. Outro fator de grande relevância é o consumo por parte dos asiáticos, que, por representarem mais de um terço da população mundial, necessitam de uma grande quantidade de pluma para a criação e confecção de roupas, por exemplo. Os continentes africano e europeu aparecem na 2ª posição, onde cada um representa 2% do destino do algodão do Estado.

Regulador de Crescimento
Conforme os dados levantados pelo Imea de 2009 a 2011, o preço pago pelo regulador de crescimento obteve uma variação ao longo do ciclo de produção do algodão, com oscilações positivas conforme a valorização da pluma no mercado. Em Sorriso o valor pago por litro do produto entre os dois últimos anos teve uma alta de 27,7%, chegando ao preço médio de US$ 36,90/L, enquanto que em 2009 era cotado a US$ 26,68/L. Em Sapezal, de 2009 para 2010 o preço pago teve um acréscimo de 2,4%. No período de julho de 2010 a março de 2011 foi quando ocorreu a maior alta dos últimos três anos, atingindo R$ 38,00 em Sorriso. Esse cenário se estabilizou a partir de abril de 2011, só voltando a subir em novembro, quando a procura do produto aumenta devido aos preparativos para o plantio.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.