Visita

Comitiva da Secretaria de Defesa Agropecuária se surpreende com potencial da fazenda do Lanagro-RS

Fazenda tem 180 hectares e é cadastrada no Conselho Nacional de Controle e Experimentação Animal(Concea)
Por:
96 acessos

Uma estrutura qualificada, que aproxima a tecnologia com o trabalho no campo e que assegura qualidade no controle de vacinas contra febre aftosa. Essa foi a definição dada pela comitiva que visitou, no dia 23 de novembro, o Posto Agropecuário Sarandi (PAP), fazenda de propriedade do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), administrada pelo Laboratório Nacional Agropecuário do Rio Grande do Sul (Lanagro-RS), no município de Sarandi. Estiveram visitando o local o secretário da Defesa Agropecuária (SDA), Luis Eduardo Pacifici Rangel, o Coordenador-Geral de Laboratórios Agropecuários (CGAL), Rodrigo Nazareno, a diretora de Fiscalização de Insumos Pecuários (DFIP/SDA), Janaína Garçone, a coordenadora do Lanagro-RS, Priscila Moser, o coordenador substituto do Lanagro-RS, Fabiano Barreto, acompanhados da Chefe de Gabinete da SDA, Ana Carolina Lamy e da chefe do Serviço de Gestão da Qualidade (SGQ/Lanagro-RS), Aline Venturini.


 
A comitiva conheceu, primeiro, a unidade da Ponta Grossa, em Porto Alegre, onde puderam observar as estruturas dos laboratórios ligados a sanidade animal, bebidas e azeites. O grupo seguiu para Sarandi. Esta foi a primeira vez que um secretário da SDA e um Coordenador da CGAL visitam o local. A fazenda realiza 100% dos testes de vacina contra febre aftosa no país. Só neste ano já foram mais de 3800 bois nos testes oficiais. As autoridades começaram acompanhando como é produzida a silagem que alimenta os animais, como é feito o controle da dieta para maior eficiência e as condições de confinamento do gado que seguem padrões rigorosos de bem-estar animal. A unidade conta com dois servidores do Mapa que fazem as coletas das amostras para análise e conta com estrutura administrada em parceria com uma empresa privada que cuida do manejo com o gado.
 
Para Nazareno o local mostra como uma boa administração faz a diferença na sanidade animal brasileira. “Aqui é quase um laboratório. Estamos olhando bois mas, na verdade, eles carregam doses de vacina que são  testadas em laboratório. É uma extensão da área laboratorial com potencial de expansão”, acrescenta.”

 
O Lanagro-RS está pleiteando, junto a Organização Mundial de Sanidade Animal no Brasil (OIE) ser referência mundial em controle de vacinas contra febre aftosa. A expectativa, em 2018, é também triplicar a capacidade das análises feitas pelo laboratório, em função da modificação da formulação das vacinas contra Febre Aftosa. O trabalho impressionou Rangel, que destaca o potencial da Rede Lanagro no controle da sanidade animal brasileira. “A impressão foi a melhor possível. Há um grande investimento feito em equipamentos de ponta e potencial humano. Os Lanagros são motivo de orgulho com processos de controle de qualidade e entregas de eficiência para o processo e, no caso do Lanagro-RS, com propriedade no assunto”, enfatiza. Para Priscila esse momento representa não só a credibilidade do Lanagro-RS junto a SDA e a CGAL como mostra uma capacidade operacional de ponta, já preparada para atender as mudanças na formulação da vacina.” Acho que conseguimos demonstrar o trabalho que é realizado aqui em Sarandi, que já é referência e que pode expandir ainda mais”, completa.
 
 Sobre o Posto Agropecuário de Sarandi (PAP)
 
A fazenda, administrada pelo Lanagro-RS, tem 180 hectares e é cadastrada no Conselho Nacional de Controle e Experimentação Animal(Concea) o que assegura manejos baseados nas práticas de  bem-estar animal, seguindo a risca a legislação. No local trabalham dois servidores fixos e a cada 15 dias auditores federais agropecuários se deslocam, de Porto Alegre, para coletar amostras de bovinos em 0 dia de vacinação, 28 dias após vacinação e 28 dias pós revacinação, para controlar a eficácia do processo. A seleção de bovinos para a realização dos testes segue alguns critérios técnicos como: bom estado sanitário, ter entre 18 e 24 meses de idade, ser macho cadastrado, pesar no mínimo 250 kg, não ter ectoparasitas, não podem ter sidos vacinados antes. Antes dos testes os animais ficam 21 dias em adaptação ao local.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink