Como fica o tempo no fim de semana?
CI
Imagem: Marcel Oliveira
AGROTEMPO

Como fica o tempo no fim de semana?

Sexta-feira (22/01), será marcada pela diminuição das instabilidades nas regiões mais afetadas pelas chuvas volumosas
Por: -Aline Merladete

Esta sexta-feira (22/01), será marcada pela diminuição das instabilidades nas regiões mais afetadas pelas chuvas volumosas nos últimos dias, na região sul. Porém, a Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS) continua influenciando o tempo em boa parte do centro-sul do Brasil, mantendo a condição para chuvas frequentes. Na faixa leste do país, o predomínio de uma massa de ar seco impede a formação de nuvens carregadas na região.

No norte do país, as chuvas mais intensas se concentram na faixa ocidental do AM e no estado do AC. O forte calor e a grande quantidade de umidade transportada para essa região pelos ventos de leste, são os fatores para as chuvas volumosas. Os acumulados podem superar os 50 mm pontualmente em localidades da região do Alto Solimões e Juruá. De maneira geral nos estados do RR, RO, PA e TO também há condições para pancadas de chuvas, e vale destacar a região da ilha de Marajó no PA e o centro norte do TO onde há possibilidade de acumulados expressivos. No estado do AP, a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) ainda marca presença levando chuvas para todo o estado.

A presença do Vórtice Ciclônico de Altos Níveis (VCAN), centrado ao sul do PI e norte da BA, impede a formação de nuvens carregadas nessas regiões. Entretanto, as instabilidades provocadas em grandes altitudes, deixam o tempo instável no MA. No litoral da região nordeste, há condições para chuvas fracas e passageiras e no interior da, na faixa que se estende do sul da BA ao sul do CE o tempo segue firme.

No centro-oeste as instabilidades continuam devido ao grande fluxo de umidade que está sobre a região oeste do estado do MT, a atuação da ZCAS ao sul do MS além de uma área de baixa pressão. Com esses fatores, na região do Alto Pantanal ao Alto Guaporé no MT e no baixo Pantanal em MS, os acumulados podem superar os 40 mm. No estado do GO, uma massa de ar seco predomina na região leste, nas regiões de divisa com os estados de MG e BA, mantendo as condições para pancadas isoladas e mal distribuídas no Sudoeste de Goiás.

Na região sudeste, as chuvas continuam concentradas ao sul e litoral sul do estado de SP, e a massa de ar seco atua sobre a faixa oeste do estado de MG. No leste de MG, RJ e ES, há chances para chuvas fracas e passageiras, mas de maneira geral, será refletido apenas na variação da cobertura de nuvens. 

Uma série de fatores meteorológicos vão influenciar o tempo na região sul nesta sexta-feira. Porém os acumulados tendem a diminuir, em relação aos dias anteriores, na faixa leste dos estados de SC e PR, nessas áreas, os acumulados nos últimos quatro dias superaram a marca dos 250 mm, como em Irati no PR e Garuva em SC. Desses fatores, o principal ingrediente que favorece os grandes volumes das chuvas, é a grande quantidade de umidade disponível na atmosfera. Essa umidade, chega na região transportada tanto pela ZCAS, que traz a umidade da região amazônica, quanto por um sistema de alta pressão no oceano que empurra a umidade marítima para o continente. Dessa forma, as condições para as chuvas mantêm-se para esta sexta-feira, onde no leste do PR o volume de chuvas pode ultrapassar os 50 mm. No RS, além de receber um pouco dessa umidade na faixa norte do estado, a presença de um cavado aumenta as instabilidades no centro sul do estado. 

Para o final de semana as instabilidades avançam no estado do RS, dando condições para pancadas de chuvas que podem ser localmente fortes. E até o domingo (24) a massa de ar seco, no na região sul do Matopiba e GO perde força e dando condiç?s para o retorno das chuvas no oeste da BA e norte do GO. 
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink