Como La Niña mexe na safra argentina?
CI
Imagem: Pixabay
OFERTA

Como La Niña mexe na safra argentina?

Nos meses de janeiro, fevereiro e março a tendência será de escassez de chuvas
Por: -Leonardo Gottems

O fenômeno climático La Niña não está atrapalhando apenas o Brasil – já está gerando efeitos no plantio de final de ano da Argentina, afetando a produção agrícola. De acordo com o meteorologista Leonardo De Benedictis, essa influência pode ter implicações para o verão de 2022, afetando o principal concorrente do Brasil na América latina e alterando o cenário da oferta de soja e milho.

Antes da Primavera de 2021, a previsão de diversas organizações internacionais era de “probabilidades de fraca intensidade de La Niña para a Argentina”. “Choveu praticamente todas as semanas em novembro, mais do que o esperado. Houve condições favoráveis para a campanha, ao contrário do que aconteceu na temporada passada, que foi marcada pela falta de chuvas”, destaca De Benedictis.

O Serviço Meteorológico Nacional argentino havia alertado para 78% de probabilidade de que uma fase La Niña se desenvolvesse no trimestre entre outubro e dezembro de deste ano. No entanto, as chuvas continuam aparecendo, e mesmo em algumas áreas, como o oeste da província de Buenos Aires, complicações se manifestam devido ao excesso de chuvas na colheita do trigo e na semeadura de outros grãos.

A Bolsa de Cereais de Buenos Aires estimou que a safra de grãos cresceria 7,2%, para 129,8 milhões de toneladas na safra 2021/22. Nos meses de janeiro, fevereiro e março a tendência será de escassez de chuvas. A temporada será afetada pelo fenômeno climático La Niña, como no ciclo anterior, mas com menos intensidade do que no ciclo anterior. 

O fenômeno da escassez de água geralmente traz pragas que aparecem em climas mais secos. De acordo com Aimar Pena, gerente de Lavouras de Soja da BASF Argentina, esta situação exige o máximo uso das tecnologias disponíveis. “Nossas ferramentas digitais permitirão que os produtores tenham em mãos as prescrições corretas para definir as densidades e as datas corretas de semeadura em sementes no contexto do fenômeno La Niña para o verão de 2022”, garante ele.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.