Conab quer ampliar apoio a extrativistas em 2017

Agronegócio

Conab quer ampliar apoio a extrativistas em 2017

Atualmente, a Pgpm-Bio contempla 15 produtos
Por:
748 acessos

Com o objetivo de ampliar o acesso à Política de Garantia de Preços Mínimos para a Sociobiodiversidade (Pgpm-Bio) e esclarecer os modelos operacionais da política de apoio à comercialização de produtos extrativistas, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) promove esta semana reuniões com produtores, cooperativas, associações e parceiros dos estados de Amazonas, Pará, Rondônia, Tocantins, Maranhão, Ceará e Minas Gerais.

A subvenção ao babaçu estará em pauta nas cidades de Manicoré (AM), Marabá, São Domingos do Araguaia e São Geraldo do Araguaia (PA), Guajará-Mirim (RO), Palmas, São Miguel, Augustinópolis e Carrasco Bonito (TO), Chapinha, Vargem Grande, Coroatá, Itapecurum Mirim, Limpa Campos, Trizidela do Vale, São Luís Gonzaga e Porção de Pedras (MA). Em Minas Gerais, nos municípios de Gameleira, Espinosa, Monte Azul, Mato Verde, Santo Antonio do Retiro e Janaúba, os extrativistas receberão orientação sobre pequi e umbu. No dia 10, técnicos da Companhia estarão em Barbalha, Crato, Porteiras e Chapada do Araripe, no Ceará, para tratar do apoio à comercialização de babaçu, pequi e macaúba.

Atualmente, a Pgpm-Bio contempla 15 produtos: açaí, andiroba, babaçu, baru, borracha extrativa, cacau extrativo, castanha-do-brasil, carnaúba, juçara, macaúba, mangaba, pequi, piaçava, pinhão e umbu. Os extrativistas desses produtos recebem subvenção direta quando comprovam a venda por preço inferior ao mínimo fixado pelo governo federal.

A Política de Garantia de Preços Mínimos para Produtos da Sociobiodiversidade assegura renda às populações que possuem formas próprias de organização social e ocupam e usam territórios e recursos naturais como condição para sua reprodução cultural, social, religiosa, ancestral e econômica, aplicando conhecimentos, inovações e práticas gerados e transmitidos pela tradição. Simultaneamente, a Pgpm-Bio fomenta a proteção ao meio ambiente.
 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink