Concluída 1ª etapa do Projeto Biomas na Amazônia
CI
Agronegócio

Concluída 1ª etapa do Projeto Biomas na Amazônia

Pesquisadores buscam a propriedade que vai servir de referência no bioma
Por:
Pesquisadores buscam a propriedade que vai servir de referência no bioma
O projeto Biomas, uma parceria entre Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e Embrapa, terminou a primeira etapa de trabalho no bioma Amazônia. No último dia de atividade, os pesquisadores visitaram mais um local em busca da área de referência para o projeto, que tem sua sede no município de Marabá, sudeste do Estado do Pará, a cerca de 500 quilômetros da capital, Belém. A cidade é conhecida como “cidade poema”, já que teve seu nome inspirado no poema “Marabá”, de Gonçalves Dias.

O lugar escolhido foi a Terra Indígena Mãe Maria, uma reserva de 62 mil hectares. Segundo a Fundação Nacional de Saúde, FUNASA, são 782 habitantes dos grupos indígenas Gavião do Oeste e Gavião da Montanha. “A partir do momento que você tem como objetivo a recuperação de uma área, você tem que tomar como base o componente arbóreo que existe originariamente na região. Daí a importância da área de referência”, explica o pesquisador da Embrapa Amazônia Oriental, Alexandre Mehl Lunz.

O relevo e o solo possuem variações importantes para determinar diferenças nas características da floresta. “Tanto na área do exército como na reserva, existem pontos em que as árvores são de grande porte, com ampla diversificação estrutural, e a expectativa é que elas sejam bastante diversificadas, como é o padrão da Amazônia”, complementa Alexandre Uhlmann, pesquisador da Embrapa Florestas.

Depois da visita à reserva indígena, os pesquisadores da Embrapa voltaram à fazenda Cristalina (foto acima), a 85 quilômetros de Marabá. Uma propriedade de aproximadamente 1.800 hectares, na qual prevalece a pecuária extensiva. Segundo o coordenador do Biomas, Gustavo Curcio, a fazenda é muito interessante para o projeto, porque tem as três áreas que são necessárias. “Tem ao centro, uma área de cabeceira de drenagem intermitente, onde poderemos estruturar pesquisas de APP (Área de Preservação Permanente). Em volta dessa APP nós faríamos as pesquisas voltadas à Reserva Legal e circundando ao mencionado estariam as pesquisas com os sistemas de produção”, descreve Curcio.

O Pará tem um dos maiores rebanhos bovinos do país. O último dado do IBGE, revela que em 2010 o efetivo do estado cresceu 4,1%. E o município de São Felix do Xingu é o maior produtor nacional, com 2 milhões de cabeças.

“A receptividade dos produtores foi muito grande, como sempre. É muito positivo poder fazer essa troca de informações e trazer um ganho para a propriedade rural, respeitando as condições do produtor e das características da paisagem ”, conclui Gustavo Curcio.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink