Conexão Delta G prevê 2019 como o ano da genômica 

Hereford

Conexão Delta G prevê 2019 como o ano da genômica 

Programas desenvolvidos pela entidade em 2018 estão consolidados e a tendência é de crescimento na procura por animais geneticamente superiores
Por:
34 acessos

Os programas de melhoramento genético de bovinos das raças Hereford e Braford desenvolvidos pela Conexão Delta G foram consolidados em 2018 e a expectativa é de que no próximo ano ocorra uma maior procura e valorização desses animais. A informação é do presidente da Conexão Delta G, Eduardo Eichenberg, que prevê 2019 como o ano da genômica na entidade. Destaca que o Programa de Resistência ao Carrapato registrou um maior número de touros comercializados com essa informação nos leilões dos conectados e a tendência é de que aumente a procura e a valorização, em função dos prejuízos e dificuldades de controle que os pecuaristas têm enfrentado nos últimos anos. 

De acordo com Eichenberg, a nova parceria com a Embrapa, assinada recentemente, permitirá, também, que os conectados ofereçam ao mercado, a partir de 2019, reprodutores com DEP Genômica (Diferenças Esperadas na Progênie) para outras características, tanto produtivas quanto adaptativas. “Isto será um grande diferencial nos leilões de membros da Conexão Delta G em 2019. A grande vantagem será a apresentação de animais com uma maior acurácia das características já avaliadas corriqueiramente pela Conexão. “Vamos comercializar touros jovens, de 2 e 3 anos, como se já tivessem filhos avaliados para as características apresentadas, ou seja, com uma acurácia muito maior”, explica.

Sobre o Programa Touro Jovem, Eichenberg  coloca que os resultados apresentados no Sumário 2018 e a contratação de touros que vêm se destacando, mostra que o trabalho está no caminho certo, ofertando ao mercado animais superiores geneticamente, testados pelo programa e dentro daquilo que o mercado procura. “O número de touros atualmente em coleta oriundos desse processo nos faz ter a certeza de que o programa deve crescer em 2019, e que cada vez mais teremos touros jovens com sêmen disponível ao mercado, através da parceria com as empresas Alta Genetics e Progen”, salienta.

Em relação à comercialização de genética bovina em 2018, a avaliação é positiva, com uma boa demanda nas temporadas de Outono e de Primavera da pecuária gaúcha. As vendas de reprodutores Braford neste ano cresceram em relação à 2017, inclusive, com incremento de preços tanto nos machos como nas fêmeas. No Hereford,  os números foram similares em relação à venda do ano passado, porém com crescimento do preço médio, o que confirma a previsão da entidade no início da temporada .de vendas. Os dados são do Sindicato dos Leiloeiros Rurais do Estado do Rio Grande do Sul (Sindiler).

Eichenberg, destaca que o setor alcançou nos leilões liquidez, bons preços e médias excelentes. Afirma que os associados  conseguiram comercializar touros Hereford com médias acima de R$ 9 mil e touros Braford com médias acima de R$ 10 mil, além de um universo de fêmeas de ambas as raças com médias ao redor de R$ 3,5 mil. 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink