Conselho argentino rejeita controle das exportações de carne

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Leia nossos Termos de Uso e Termos de Privacidade. Ao clicar em Aceitar & Fechar, você consente com a utilização de cookies.


CI
Imagem: Pixabay
MUNDO

Conselho argentino rejeita controle das exportações de carne

“A CAA destaca que tem consciência da crise económica e social"
Por: -Leonardo Gottems

Mais um conselho argentino relacionado à produção agropecuária se manifestou rejeitando um maior controle do estado nas exportações de carne, de acordo com o portal local AgroFy. O Conselho Agroindustrial Argentino (CAA) , integrado por câmaras e entidades que representam todas as economias agrícolas e suas indústrias do país, realizou sua reunião na qual, entre outros temas, foram analisadas as recentes medidas tomadas pelo Gabinete Econômico. 

“A CAA destaca que tem consciência da crise económica e social que atravessamos e está firmemente empenhada em dialogar, propor, agir e comunicar políticas públicas que respondam a esta delicada situação aprofundada pela pandemia da saúde que atinge todas as atividades económicas, incluindo o agro”, indicou o conselho. “Da mesma forma, a CAA reitera que o caminho para a reativação econômica deve ser a busca pelo crescimento das exportações, de forma inclusiva, sustentável e federal com políticas que visem o crescimento da produção e a industrialização da agricultura argentina, a fim de gerar divisas genuínas, inclusão e emprego em todo o território nacional”, completa. 

A maior parte do comunicado foi relativo a maiores controles e exigências quanto às exportações que afetam diretamente qualquer iniciativa de desenvolvimento exportador, gerando empregos e divisas. “Finalmente, o Conselho Agroindustrial Argentino reitera sua disposição para um diálogo fecundo na busca de consensos no desenho de políticas públicas de crescimento tão necessárias no difícil contexto que atravessa nosso país”, conclui. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink