Conservação de Solo e Água é tema de Dia de Campo em Soledade

Agronegócio

Conservação de Solo e Água é tema de Dia de Campo em Soledade

Agricultores e estudantes participaram de um Dia de Campo sobre Conservação do Solo e da Água.
Por:
1804 acessos

Cerca de 100 agricultores e estudantes do interior do município de Soledade participaram na quinta-feira (29/09), na propriedade do agricultor Ilário Ottoni, localizada na comunidade de Rincão do Bugre, de um Dia de Campo sobre Conservação do Solo e da Água. O evento foi promovido pela Emater/RS-Ascar, em parceria com a Cooperativa Coagrisol, Penergetic, Yara e Ja.

Na ocasião, foram realizadas cinco estações temáticas de forma a alertar o público presente sobre a importância de adotar práticas de conservação de solo e água. A primeira estação, coordenada pela Emater/RS-Ascar, abordou sobre a necessidade de conservação do solo, de modo a melhorar sua estrutura física, permitindo a maior capacidade de infiltração e retenção de água, para posteriormente suprir as necessidades das plantas em períodos de estiagem. "A melhoria física do solo se obtém trabalhando a sua biologia, por meio do incremento de matéria seca na ordem de 8 a 12 toneladas por hectare ao ano e descompactação mecânica, em casos onde a compactação do solo é detectada", explica o engenheiro agrônomo da Emater/RS-Ascar, Roger Terra de Moraes. 

Segundo Moraes, com o aporte da matéria seca em quantidade, qualidade e frequência e em acordo com a demanda biológica, a porção química do solo se torna mais rica. Desta forma, o solo melhora sua fertilidade, se tornando mais eficiente no armazenamento e disponibilidade de água para as plantas, aumenta as trocas gasosas entre solo e planta, criando um ambiente propício ao bom desenvolvimento de raízes, além de uma maior oferta de nutrientes, seja pela decomposição da matéria orgânica ou pelo maior desenvolvimento radicular.

"A mensagem passada ao final da abordagem foi no sentido de o produtor dar mais atenção ao solo, que é a base de uma lavoura produtiva, e realizar algumas práticas que visam disponibilizar mais água para as plantas sob déficit hídrico, de pensar a fertilidade do solo no sentido mais amplo, de forma biológica, física e química, não se restringindo a apenas uma análise química de nutrientes", alertou o engenheiro agrônomo. 

Na segunda estação, a cooperativa Coagrisol mostrou aos produtores a importância da plantabilidade, de um plantio bem feito, do uso de sementes com elevado nível de germinação e de alto vigor, além boa distribuição espacial na lavoura e profundidade adequada de plantio e tratamento de sementes. 

As três estações seguintes foram coordenadas por representantes das empresas apoiadoras. A Penergetic apresentou o projeto solo vivo e os benefícios da diversidade biológica, trabalhando com diferentes plantas de cobertura, melhorando a fertilidade do solo. A Yara apresentou o produto YaraBela, que fornece nitrogênio na forma nítrica e amoniacal e foi utilizado na lavoura de trigo onde o Dia de Campo foi realizado. E, a empresa Jan, apresentou o Escarificar Matic, bem como suas regulagens de largura entre hastes e profundidade de trabalho.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink