Controle do psilídeo deve ser mais rigoroso no segundo semestre
CI
Psilídeo

Controle do psilídeo deve ser mais rigoroso no segundo semestre

População de psilídeos aumentam a partir do final do inverno
Por:

O número de brotos nas plantas e, consequentemente, a população de psilídeos aumentam a partir do final do inverno e permanecem altos até o início do verão devido ao maior volume de chuvas. Por isso o controle do inseto vetor do greening (huanglongbing/HLB) deve ser intensificado no período. “O manejo precisa ser bem feito durante todo o ano, mas nesse momento é imprescindível que seja mais frequente para proteger os pomares de novas contaminações”, afirma o pesquisador do Fundecitrus Silvio Lopes.

“Com as altas temperaturas e umidade, os brotos [que atraem os psilídeos] podem crescer, em média, um centímetro por dia. Dessa forma, se as pulverizações não forem frequentes, as brotações, por causa do crescimento rápido, ficam desprotegidas”, completa.

As chuvas também comprometem a eficiência dos inseticidas, pois removem o produto das plantas. Historicamente, o número de psilídeos capturados pelas armadilhas do Sistema de Alerta Fitossanitário do Fundecitrus tem sido maior no segundo semestre. Em 2016, foi 4,5 vezes superior e, em 2017, 2,5 vezes maior na segunda metade do ano.

De acordo com o pesquisador do Fundecitrus Renato Bassanezi, outros casos exigem atenção. “As aplicações devem ser mais frequentes também quando o citricultor fizer poda ou irrigar nos períodos mais secos, pois isso estimula novas brotações”, indica.

A recomendação é realizar aplicações com intervalos de sete a dez dias nos talhões de borda ou nos primeiros 100 metros em relação à divisa da propriedade e em talhões podados ou irrigados com brotações. Em 2018, os avisos emitidos pelo Alerta Fitossanitário serão mais preventivos: irão ocorrer antes dos picos de população para que o controle seja melhor programado e as plantas protegidas antes da chegada do psilídeo.

Por que intensificar o controle no segundo semestre?

1 - Estimulados pelas chuvas, mais brotos surgem, atraindo e reproduzindo psilídeos.

2 - Brotos crescem em média um centímetro por dia. Pulverizações são recomendadas a cada sete ou dez dias para manter toda brotação sempre protegida.

3 - As chuvas intensas removem os inseticidas e reduzem a eficácia dos produtos. A reaplicação é necessária sempre que ocorrerem chuvas.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink