Frango

Cortes minimizam queda na exportação de carne de frango

Os cortes garantem o incremento da receita cambial do setor que, de outra forma, também estaria sendo negativa
Por:
27 acessos

Na exportação de carne de frango, apenas os cortes continuam a apresentar evolução de volume positiva em relação a 2016, o que minimiza o índice de queda registrado nos nove primeiros dos dados. Mais que isso, porém, os cortes garantem o incremento da receita cambial do setor que, de outra forma, também estaria sendo negativa.

Considerado o volume embarcado, o aumento obtido pelos cortes vem sendo mínimo, de apenas 1,6%. E como a queda dos demais itens continua bem mais significativa – de 7,5% no frango inteiro, de 8,1% nos industrializados, de mais de 16% na carne de frango salgada – o resultado final acaba sendo uma redução de 2,37%.

Porém, os cortes vêm registrando excelente retomada de preços – valorização de quase 20% em relação aos mesmos nove meses de 2016. E isso faz com que, apesar do volume modesto, sua receita cambial seja quase 16% superior.

É verdade que o frango inteiro e os industrializados também obtiveram melhora de preço (de, respectivamente, 7,8% e 3,7%, enquanto o preço da carne salgada recuou 2,7%). Mas como os ganhos em preço não compensaram a perda no volume, a receita cambial dos três itens continuou negativa.

Assim, foi graças exclusivamente aos cortes que os primeiros três quartos do ano foram encerrados com um incremento de 5,3% na receita cambial da carne de frango.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink