Crea-ES alerta sobre estragos causados pelas chuvas no meio rural
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,650 (0,50%)
| Dólar (compra) R$ 5,55 (0,74%)


Agronegócio

Crea-ES alerta sobre estragos causados pelas chuvas no meio rural

Poder público deve priorizar o planejamento na hora da utilização do solo e construção de barragens
Por:
1338 acessos
Poder público deve priorizar o planejamento na hora da utilização do solo e construção de barragens

As fortes chuvas que atingiram o Espírito Santo deixaram grandes impactos em algumas cidades e também no campo. De acordo com boletim da Defesa Civil, 24 municipios foram afetados diretamente e seis, Domingos Martins, Itarana, Governador Lindemberg, Laranja da Terra, Ibatiba e Pancas, já determinaram situação de emergência. Inundações, deslizamentos, enchentes, perda de produção agrícola, tráfego de veículo interrompido nas estradas estão entre algumas das muitas dificuldades.


Segundo o presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Espírito Santo (Crea-ES), engenheiro agrônomo Helder Carnielli, as chuvas intensas trazem muitos prejuízos, principalmente, no meio rural.

“O excesso de água faz com que inundações repentinas aconteçam. Com isso, as lavouras ficam inundadas, gerando grande prejuízo aos produtores rurais. Outro problema é a dificuldade de acesso nas estradas rurais que acabam sendo interrompidas devido a quedas de barreiras, afetando imediatamente o escoamento da produção principalmente de leite e de hortigranjeiros”, diz Carnielli.


Casos de desmatamento e ocupação desordenada, inclusive em áreas de preservação, também trazem uma série de prejuízos, principalmente nos períodos intensos de chuva.

“O Crea-ES clama ao poder público que seja feito um planejamento adequado do uso do solo e na construção de barragens, que devem ser devidamente fiscalizadas. E essa combinação de barragens irregulares com chuva persistente pode gerar uma série de transtornos, como o rompimento destas. O transbordamento acarreta, desde a perda de plantações a mortes causadas por enchentes”, afirma Helder Carnielli.


Por isso, o diagnóstico prévio das áreas de riscos precisa estar nas pautas dos municípios e do Estado durante todo o ano. O Crea-ES se coloca à disposição para avançar em parcerias com a Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e Governo do Estado visando o mapeamento dos locais que sofreram com as fortes chuvas.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink