Crise na indústria têxtil fecha fábricas no Ceará

Agronegócio

Crise na indústria têxtil fecha fábricas no Ceará

Coteminas reduziu de 140 mil para 90 mil ton o consumo de pluma de algodão
Por:
672 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

A indústria têxtil do Ceará e dos demais estados onde ela existe tem passado por dificuldades. Aqui, no Distrito Industrial de Maracanaú, no Ceará, duas grandes empresas já fecharam – a Cotece e a Fiotex.

Outra, também de grande porte, passa por recuperação judicial, tendo reduzido suas compras de algodão de quatro mil toneladas para duas mil toneladas.

A Coteminas, gigante do setor, reduziu de 140 mil para 90 mil toneladas o consumo de pluma de algodão.

Em Araripina (PE) , fechou a Artesa.

E tudo isso em um cenário de queda dos preços do algodão – no Brasil a libra/peso, que em janeiro custava R$ 2,22, custa R$ 1,69.

Calças de brim, que tinham 100% de algodão, têm hoje 20% de poliéster e 5% de elastano.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink