Cultivares de soja são destaques da Embrapa no TecnoShow

Agronegócio

Cultivares de soja são destaques da Embrapa no TecnoShow

O produtor vai poder ver a campo os quatro materiais transgênicos em lançamento, com adaptação a diferentes regiões e um material não transgênico
Por:
1006 acessos
A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) lança, durante o TecnoShow Comigo, que será realizado em Rio Verde, Goiás, de 9 a 14 de abril, cinco cultivares de soja para a região Centro-Oeste do Brasil. “O produtor vai poder ver a campo os quatro materiais transgênicos em lançamento, com adaptação a diferentes regiões e um material não transgênico, a BRS 361, que teve recordes de produtividade, além das outras cultivares que já estão no mercado”, explica Luis Carlos Miranda, da Embrapa Transferência de Tecnologia.


Para produtores de soja transgênica, a Embrapa está lançando a BRS 334 RR, material de hábito determinado, ciclo precoce e porte que favorecem a sucessão de culturas em safrinha. Desenvolvida no convênio com a Fundação Meridional, é resistente ao acamamento e seu ciclo varia de 105 a 118 dias, conforme a região. “É um material que está indo muito bem nas regiões produtoras de Goiás, Minas e norte do Mato Grosso do Sul”, avalia Wanderley Oliveira, analista de desenvolvimento de mercado da Fundação Meriodional.

Outro lançamento que promete excelente produtividade nas regiões de Goiás, Minas Gerais e Distrito Federal é a BRSMG 760S RR. Com ciclo precoce e hábito de crescimento indeterminado, pode ser semeada logo no início da estação chuvosa. Foi desenvolvida no âmbito da parceria da Embrapa com a Epamig e Fundação Triângulo, apresenta resistência ao acamamento e ciclo de 105 a 125 dias. “É uma cultivar com grande potencial para conquistar a preferência do produtor, especialmente para quem quer fazer a safrinha em sucessão à soja” explica Weider Santana, secretário executivo da Fundação Triângulo.


Outro material importante em lançamento é a BRSMG 780F RR. Além de ter excelente produtividade, a cultivar apresenta moderada tolerância à ferrugem da soja. “É uma cultivar que não dispensa a aplicação de fungicida, quando a doença é detectada no início, mas que proporciona maior segurança ao produtor”, explica Weider. Em algumas regiões, como Rondonópolis e Rio Verde, onde o material foi testado, apresentou produtividades médias superiores a 4.200 kg/ha. A partir do convênio com o CTPA e Emater-GO, a Embrapa está lançando a BRS GO 7460 RR, cultivar com boa resistência ao acamamento e resistência às principais doenças da soja. Seu ciclo de maturação é de 108 dias. “É uma cultivar altamente produtiva, com arquitetura de plantas muito interessante e, o mais importante, resistência ao nematoide de galha”, enfatiza José Nunes Júnior, gerente de pesquisa e produção do CTPA.

Para o mercado de soja convencional, que vem atraindo um número crescente de produtores, em função dos prêmios pagos pelo mercado, a Embrapa está apresentando cultivares altamente competitivas, fruto de um programa de melhoramento genético moderno. A BRS 361 combina produtividade, precocidade e hábito indeterminado. É a novidade da Embrapa e Fundação Meridional para a região de Goiás e Triângulo mineiro. A BRS 361 é top de rendimento para o mercado de soja convencional, com a precocidade necessária para promover a safrinha e resistência ao acamamento.


Portifólio completo - A Embrapa tem hoje o portifólio de cultivares de soja mais completo do mercado. O produtor encontra cultivares altamente produtivas, que incorporam resistência às principais doenças. A empresa também ampliou significativamente seu programa de melhoramento, com a inclusão de materiais de hábitos indeterminado, que favorecem o plantio mais cedo, assim como o manejo da ferrugem asiática da soja.

“Há alguns anos, demos início a mudanças no programa de melhoramento e os primeiros resultados começam a aparecer já nessa safra. As cultivares da Embrapa estão cada vez mais competitivas em termos de produtividade e atendem plenamente as expectativas do produtor de ter uma safra de soja seguida de cultivo de safrinha”, explica Alexandre Cattelan, chefe-geral da Embrapa Soja.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink